O modelo de tribunal multiportas americano e o sistema brasileiro de solução de conflitos

Marcos Claro da Silva, Tânia Lobo Muniz

Resumo


RESUMO

O artigo faz uma análise do sistema de solução de conflitos brasileiro, a partir dos pressupostos de estabelecimento do sistema multiportas de solução de conflitos norte-americano, representado principalmente pelo conceito de Tribunal Multiportas, a partir da realidade mundial na difusão dos métodos alternativos. Parte do exame dos meios alternativos de solução de conflitos dentro dessa perspectiva de profusão em todo o mundo, para depois delimitar como são tratados no Brasil. Após, apresenta o conceito de Tribunal Multiportas concebido nos Estados Unidos e sua aplicação concreta em alguns estados americanos. Ao final, sob os premissas delineadas, estabelece o grau de implantação do conceito de Tribunal Multiportas no Brasil, da forma como estabelecido nos Estados Unidos, apontando o grau de estabelecimento de um sistema judiciário multiportas.

PALAVRAS-CHAVE

Conflitos de Interesse. Tribunal Multiportas. Acesso à Justiça. Meios Alternativos.


ABSTRACT

This paper analyzes the Brazilian conflict settlement system, based on the assumptions of the establishment of the American multi-door conflict resolution system, represented mainly by the concept of multi-door courthouse, based on the diffusion of alternative methods on the world. It begins with an examination of the alternative methods of conflict resolution in the perspective of its profusion around the world and then delineate how they are treated in Brazil. After, it presents the concept of multi-door courthouse designed in the United States and its daily use in some American states. In the end, in the light of the delimited premises, establishes the degree of implementation of the concept of multi-door courthouse in Brazil, as it's established in the United States, pointing the degree of establishment of a multi-door judicial system.

KEYWORDS

Disputes. Multi-door Courthouse. Justice Access. Alternative Dispute Resolution.


Palavras-chave


Conflitos de Interesse; Tribunal Multiportas; Acesso à Justiça; Meios Alternativos; Direito Processual Civil

Texto completo:

Versão Virtual (288-311)

Referências


ALMEIDA, Guilherme Assis de; BITTAR, Carlos Alberto. Curso de Filosofia do Direito. São Paulo: Atlas. 2010.

ANDREWS, Neil. Formas Judiciais e Alternativas de Resolução de Conflitos na Inglaterra. (Trad.) WAMBIER. Teresa Arruda Alvim. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2010.

ASPERTI, Maria Cecília de Araújo. Meios Consensuais de Resolução de Disputas Repetitivas: a conciliação, a mediação e os grandes litigantes do judiciário. 2014. Dissertação (Mestrado em Direito Processual Civil) – Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo.

AZEVEDO, Monique Haddad Knochelmann Azevedo, et. al. Fundamentos da negociação para o ambiente jurídico. São Paulo: Saraiva. 2014.

BASSO, Maristela. Curso de Direito Internacional Privado. São Paulo: Atlas. 2016.

CARMONA, Carlos Alberto. Arbitragem e Processo: Um Comentário à Lei 9.307/96. 2a ed. rev. atual. ampl. São Paulo: Atlas. 2006.

BRASIL. Justiça em Números 2017: ano-base 2016/Conselho Nacional de Justiça - Brasília: CNJ, 2017.

______. Decreto n.º 1.902, de 09 de maio de 1996. Promulga a Convenção Interamericana sobre Arbitragem Comercial Internacional, de 30 de janeiro de 1975. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, 10 mai. 1996. Disponível em: . Acesso em: 20 out. 2017.

______. Lei n.º 9.307, de 23 de setembro de 1996. Dispõe sobre a arbitragem. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, 24 set. 1996. Disponível em: . Acesso em: 15 set. 2017.

______. Decreto n.º 4.311, de 23 de julho de 2002. Promulga a Convenção sobre o Reconhecimento e a Execução de Sentenças Arbitrais Estrangeiras. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, 24 jul. 2002. Disponível em: . Acesso em: 17 out. 2017.

______. Decreto n.º 4.719, de 04 de junho de 2003. Promulga o Acordo sobre Arbitragem Comercial Internacional do Mercosul. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, 05 jun. 2003. Disponível em: . Acesso em: 20 out. 2017.

______. Lei n.º 13.105, de 16 de março de 2015. Código de Processo Civil. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, 17 mar. 2015. Disponível em: . Acesso em: 12 set. 2017.

______. Lei n.º 13.140, de 26 de junho de 2015. Dispõe sobre a mediação entre particulares como meio de solução de controvérsias e sobre a autocomposição de conflitos no âmbito da administração pública; altera a Lei no 9.469, de 10 de julho de 1997, e o Decreto no 70.235, de 6 de março de 1972; e revoga o § 2o do art. 6o da Lei no 9.469, de 10 de julho de 1997. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, 29 jun. 2015. Disponível em: . Acesso em: 12 set. 2017.

CRESPO, Maria Hernandez. et. al. (Coord.). Tribunal Multiportas – Investindo no capital social para maximizar o sistema de solução de conflitos no Brasil. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2012.

DOLINGER, Jacob, TIBURCIO, Carmen. Direito Internacional Privado: Parte Geral e Processo Internacional. Rio de Janeiro: Forense. 2016.

ESTEVES, João Luiz Martins. O Comando Político Jurídico da Constituição: Ideologia e Vinculação Hermenêutica. Rio de Janeiro: Lumen Iuris. 2016.

GABBAY, Daniela Monteiro. Mediação & Judiciário: Condições necessárias para a institucionalização dos meios autocompositivos de solução de conflitos. 2011. Tese (Doutorado em Direito) – Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo.

GARTH, Bryan, CAPELLETTI, Mauro. Acesso à Justiça. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris Editor. 2002.

GOLDBERG, Stephen B.; SANDER, Frank E. A.; ROGERS, Nancy H.; COLE, Sarah Rudolph. Dispute Resolution: negotiation, mediation and other processes. 5a ed. New York: Aspen Publishers, 2007.

GONÇALVES, Vinícius José Corrêa. Tribunais Multiportas: Em busca de novos caminhos para a efetivação dos direitos fundamentais de acesso à justiça e à razoável duração dos processos. 2011. Dissertação (Mestrado em Ciências Jurídicas) – Universidade Estadual do Norte do Paraná.

LORENCINI, Marco Antonio Garcia Lopes. Prestação jurisdicional pelo Estado e meios alternativos de solução de controvérsias: convivência e formas de pacificação social. Tese (Doutorado) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

MENDES, Maria Lúcia R. de Castro P. Mediação e Conciliação. Histórico dos métodos adequados de solução de conflitos e experiências contemporâneas no Brasil e em outros países, in Estudos Avançados em Mediação e Arbitragem. São Paulo: Campos Elíseos. 2014.

MORAES, Márcio André Medeiros. Arbitragem nas relações de consumo. 1a ed. Curitiba: Juruá, 2005.

MUNIZ, Tânia Lobo. Arbitragem no Brasil e a Lei 9.307/96. Curitiba: Juruá. 1999.

RIBEIRO, Gustavo Pereira Leite. Arbitragem nas relações de Consumo. 1a ed. Curitiba: Juruá. 2006.

SALAMA, Bruno. A Economia da Arbitragem. In: Manual de Direito e Economia no Brasil. Luciano B. Timm (org.). São Paulo: Atlas, 2012.

SALES, Lilia Maia de Morais; SOUSA, Maria Almeida de. A Mediação e os ADR’S (Alternative Dispute resolutions) – A Experiência norte-americana. Revista Novos Estudos Jurídicos, vol. 19, n. 2, mai./ago. 2014.

SANDER, Frank. Future of ADR. Journal of Dispute Resolution, University of Missouri School of Law Scholarship Repositoryn, n. 1, article 5, 2000.

SOUZA, Salmo Caetano. A Natureza dos Bons Ofícios e da Mediação. Revista da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, vol. 104, jan./dez. 2009.

SPENGLER, Fabiana Marion. Da Jurisdição à Mediação: Por um outra cultura no tratamento de conflitos. Ijuí: Editora Unijuí. 2010.

STRENGER, Irineu. Arbitragem Comercial Internacional. São Paulo: LTR, 1996.

VARELLA, Marcelo. Direito Internacional Público. 6a ed. São Paulo: Saraiva, 2016.

VASCONCELOS, Carlos Eduardo. Mediação de Conflitos e Práticas Restaurativas: Modelos, Processos, Ética e Aplicações. São Paulo: Método. 2008.

WAMBIER, Teresa Arruda Alvim. A Discussão sobre a disponibilidade do controle judicial da sentença arbitral e seus limites. Revista Brasileira de Arbitragem, n. 50, abr./jun. 2016.

WATANABE, Kazuo. Acesso à justiça e meios consensuais de solução de conflitos. In: Tribunal Multiportas – Investindo no capital social para maximizar o sistema de solução de conflitos no Brasil. (Org.) CRESPO, Maria Hernandez. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2012.




DOI: https://doi.org/10.22456/0104-6594.77524

Apontamentos