Das implicações do abandono afetivo nas relações familiares

Valéria Silva Galdino Cardin, Nádia Carolina Brencis Guimarães, Caio Eduardo Costa Cazelatto

Resumo


RESUMO

Com a promulgação da atual Constituição Federal, as crianças e os adolescentes ganharam a proteção especial do Estado e são titulares de inúmeros direitos e garantias. O descumprimento dos direitos constitucionais dos infantes ocorre no seio familiar por meio do abuso do poder familiar. O afeto e a convivência familiar são elementos indispensáveis à formação da personalidade e da individualidade de uma pessoa. A relevância da participação de ambos os genitores no desenvolvimento de uma criança é significativa, já que as figuras paterna e materna representam papéis distintos na vida de um infante. Ressalta-se, que os filhos negligenciados são mais suscetíveis a desequilíbrios psicológicos. O descumprimento dos deveres parentais tem possibilitado ações de responsabilidade civil por ato ilícito causador de dano moral. A indenização seria o último recurso na tentativa de amenizar os danos psicológicos causados pelo abandono, já que na maioria das vezes não é mais possível restabelecer os laços de afeto. Por meio da evolução doutrinária, legislativa e jurisprudencial procurou-se demonstrar a pertinência do tema para a ampliação da responsabilidade advinda pelo não exercício da parentalidade responsável.

PALAVRAS-CHAVE

Direito de Família. Responsabilidade civil. Abandono afetivo.

 

ABSTRACT

With the ratification of current Brazilian Constitution, children and adolescents acquired special protection from the state and are entitled to numerous rights. The violation of constitutional rights of infants occurs within the familial intimacy through the abuse of parental power. The affection and the family life are vital components to the formation of personality and individuality. The relevance of both parents’ participation in the child´s development is significant, since the paternal and maternal figures represent distinct roles in the infant´s life. It is noteworthy that neglected children are more susceptible to psychological unbalances. The non-compliance of parental duties has enabled liability actions on the cause of pain and suffering. Compensation is a last resource in an attempt to minimize the psychological damage caused by abandonment, since most of the times it is no longer possible to restore the bonds of affection. Through the study of previous works, cases and the legislative evolution, the relevance of the theme is demonstrated in order to favor the increase in liability arising from the non-exercise of responsible parenting.

KEYWORDS

Family law. Civil liability. Emotional abandonment.


Palavras-chave


Direito de Família; Responsabilidade civil; Abandono afetivo

Texto completo:

Versão virtual (224-242)

Referências


BOSCHI, Fabio Bauab. Direito de visita. São Paulo: Saraiva, 2005.

BRASIL. Superior Tribunal de Justiça. Recurso Especial n. 1.159.242 - SP (2009/0193701-9). Recorrente: Antônio Carlos Jamas dos Santos. Recorrido: Luciane Nunes de Oliveira Souza. Relatora: Min. Nancy Andrighi. Brasília, 24 de abril de 2012. Revista Eletrônica da Jurisprudência do STJ, 10 maio 2012. Disponível em: .

BRASIL. Superior Tribunal de Justiça. Recurso Especial n. 757.411 - MG (2005/0085464-3). Recorrente: V.P.F.O. Recorrido: A. B. F. (menor), assist. por V. B. F. Relator: Min. Fernando Gonçalves. Brasília, 29 nov. 2005. DJU, 27 mar. 2006.

CAHALI, Yussef Said. Dano moral. São Paulo: RT, 2005.

CARDIN, Valéria Silva Galdino. Dano Moral no Direito de Família. São Paulo: Saraiva, 2012.

CARDIN, Valéria Silva Galdino; FROSI, Vitor Eduardo. O afeto como valor jurídico. In: ENCONTRO NACIONAL DO CONPEDI, 19., 9-12 jul. 2010, Fortaleza. Anais... Florianópolis: Fundação Boiteux, 2010. p. 6857-6869.

CAVALIERI FILHO, Sergio. Programa de responsabilidade civil. 8. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

COELHO, Fábio Ulhôa. Curso de direito civil: Família - Sucessões. 5. ed. São Paulo: Saraiva, 2012, v. 5.

CONRADO, Marcelo; PINHEIRO, Rosalice Fidalgo (Coord.). Direito Privado e Constituição: ensaios para uma recomposição valorativa da pessoa e do patrimônio. Curitiba: Juruá, 2009.

COULANGES, Fustel de. A cidade antiga. Trad. José Cretella Júnior. 7. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2011.

DIAS, Maria Berenice. Manual de direito das famílias. 6. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2010.

DIAS, Maria Berenice; PEREIRA, Rodrigo da Cunha (Org.). Direito de Família e o Novo Código Civil. 3. ed. Belo Horizonte: Del Rey, 2003.

DINIZ, Maria Helena. Curso de Direito Civil Brasileiro: Direito de Família. 27. ed. São Paulo: Saraiva, 2012, v. 5.

DINIZ, Maria Helena. Curso de Direito Civil Brasileiro: Responsabilidade Civil. 26. ed. São Paulo: Saraiva, 2012. v. 7.

GAGLIANO, Pablo Stolze; PAMPLONA FILHO, Rodolfo. Novo Curso de Direito Civil: Direito de Família. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 2012, v. 6.

GAMA, Guilherme Calmon Nogueira da. A parentalidade responsável e o cuidado: novas perspectivas. Revista do Advogado, São Paulo, v. 101, p. 29-36, dez. 2008.

GONÇALVES, Carlos Roberto. Direito civil brasileiro: Direito de Família. 9. ed. São Paulo: Saraiva, 2012, v. 6.

GONÇALVES, Carlos Roberto. Direito civil brasileiro: Responsabilidade Civil. 7. ed. São Paulo: Saraiva, 2012, v. 4.

HIRONAKA, Giselda. Direito ao pai. Revista Igualdade, v. 8, n. 26, p. 34-36, 2000. Disponível em: Acesso em: 18 ago. 2018.

HIRONAKA, Giselda. Os contornos jurídicos da responsabilidade afetiva na relação entre pais e filhos – além da obrigação legal de caráter material. Disponível em: . Acesso: 15 ago. 2018.

HIRONAKA, Giselda. Pressuposto, elementos e limites do dever de indenizar por abandono afetivo. Publicado em 22 abr. 2007. Disponível em: . Acesso em: 13 ago. 2018.

LÔBO, Paulo. Direito civil: famílias. 4. ed. São Paulo: Saraiva, 2011.

MACIEL, Kátia (Coord.). Curso de Direito da Criança e do Adolescente: aspectos teóricos e práticos. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2010.

MADALENO, Rolf. Curso de Direito de Família. 4. ed. Porto Alegre: Forense, 2011.

MADALENO, Rolf. O custo do abandono afetivo. Disponível em: Acesso em: 16 ago. 2018.

MADALENO, Rolf. O dano moral na investigação de paternidade. Disponível em: . Acesso em: 19 ago. 2018.

MARMELSTEIN, George. Curso de Direitos Fundamentais. São Paulo, Atlas. 2008

MICELI, Mariana Sant‟Ana. Por uma visão crítica do Direito da Criança e do Adolescente. Revista Estudos Jurídicos UNESP, Franca, ano 14, n. 2, p. 275-288, 2010. Disponível em: . Acesso em: 12 ago. 2018.

MINAS GERAIS. Tribunal de Justiça de Minas Gerais. Apelação Cível 1.0144.11.001951-6/001. Apelante: José Alberto Amaral. Apelado: Miriã Stefany da Silva Amaral, Tatiane Patrícia da Silva e outros. Relator: Des. Wanderley Paiva. Belo Horizonte, 27 fev. 2013. Disponível em: .

PEREIRA, Rodrigo da Cunha (Coord.). Família e responsabilidade: teoria e prática do Direito de Família. Porto Alegre: Magister/IBDFAM, 2010.

PEREIRA, Rodrigo da Cunha. Nem só de pão vive o Homem: responsabilidade civil por abandono afetivo. Disponível em: . Acesso em: 10 ago. 2018.

PEREIRA, Rodrigo da Cunha. Princípios fundamentais e norteadores para a organização jurídica da família. 2005. 157 f. Tese (Doutorado em Direito) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2004. Disponível em: . Acesso em: 10 ago. 2018.

PEREIRA, Tânia da Silva. Cuidado no Direito de Família, Infância e Juventude. Disponível em: < http://www.cartaforense.com.br/conteudo/entrevistas/cuidado-no-direito-de-familia-infancia-ejuventude/10588>. Acesso em: 6 ago. 2018.

RODRIGUES, Silvio. Direito civil. 26. ed. São Paulo: Saraiva, 2001.

SANTOS, Luiz Felipe Brasil. Pais, filhos e danos. Disponível em: . Acesso em: 22 ago. 2018.

SCHREIBER, Anderson. Novos paradigmas da responsabilidade civil. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2009.




DOI: https://doi.org/10.22456/0104-6594.76803

Apontamentos

  • Não há apontamentos.