O direito social ao trabalho como condição à busca pela felicidade

Camila Martinelli Sabongi, Victor Hugo de Almeida, Igor Assagra Rodrigues Barbosa

Resumo


O direito social ao trabalho como condição à busca pela felicidade

 

The social right to work as a condition to persuade happiness

 

Victor Hugo de Almeida*

 

Camila Martinelli Sabongi**


Igor Assagra Rodrigues Barbosa***

 

 

REFERÊNCIA

ALMEIDA, Victor Hugo de; SABONGI, Camila Martinelli; BARBOSA, Igor Assagra Rodrigues. O direito social ao trabalho como condição à busca pela felicidade. Revista da Faculdade de Direito da UFRGS, Porto Alegre, n. 38, p. 220-233, ago. 2018.

 

RESUMO

ABSTRACT

Conquanto não haja previsão explícita no ordenamento pátrio, o direito à felicidade tem sido estampado em diversas decisões judiciais como desdobramento do princípio da dignidade da pessoa humana, relacionando-se, ainda, com a concretização dos direitos sociais e dos valores sociais do trabalho, fundamentos previstos constitucionalmente. Elencado como direito mínimo e indispensável à garantia de uma existência digna, tendo como escopo a preservação, o direito ao trabalho livre e emancipador é constitucionalmente previsto, de importância reconhecida para o pleno desenvolvimento do indivíduo, tanto para suprir suas necessidades essenciais, possibilitando sua existência digna, mas também como forma de se realizar pessoal e socialmente. Este artigo visa analisar os contornos do direito ao trabalho, sua relação com o direito à busca pela felicidade e a concretude desses na realidade do indivíduo no mundo contemporâneo do trabalho. Trata-se de uma pesquisa de natureza teórico-exploratória, pautada no método de levantamento de dados por meio da técnica de pesquisa bibliográfica, e, como método de abordagem, o indutivo. A análise proposta evidencia a necessidade de se implementar políticas públicas de conscientização que prezem pela efetivação dos direitos humanos, sociais e trabalhistas, de forma a promover o direito ao trabalho digno, realizador e emancipador, que corrobore com o bem-estar do trabalhador, possibilitando, assim, a felicidade em sua plenitude, tanto coletiva como subjetiva.

 

 

Although there is no explicit provision in the country's legal system, the right to happiness has been printed in several judicial decisions as a result of the principle of the dignity of the human person, and is related to the realization of social rights and social values of work, fundamentals provided for in the Constitution. Classified as a minimum and indispensable right to guarantee a dignified existence, having as its objective the preservation, the right to free and emancipatory work is constitutionally foreseen, of recognized importance for the full development of the individual, both to meet their essential needs, enabling their existence dignified, but also as a way of achieving oneself personally and socially. This work aims to analyze the right to work contours, its relation to the right to pursuit happiness and the concreteness of both rights in person’s reality in the contemporary world of work. This is a theoretical and exploratory research guided by a data collection method through literature research technique, and as an approach method, it will be used the inductive method. The proposed analysis evidences the need to implement public awareness-raising policies that promote the realization of human, social and labor rights, in order to promote the right to decent, fulfilling and emancipatory work that corroborates the worker's well-being, thus making happiness possible in its fullness, both collective and subjective.

PALAVRAS-CHAVE

KEYWORDS

Direito Social ao Trabalho. Felicidade. Direitos Humanos.

Social Right to Work. Happiness. Human Right.


* Professor de Direito do Trabalho da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP), São Paulo. Doutor em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP).  

** Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Direito da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP), São Paulo. Bolsista Fapesp 2016-2018.

*** Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Direito da Universidade de São Paulo (USP).


Palavras-chave


Direito Social ao Trabalho; Felicidade; Direitos Humanos; Direito do Trabalho; Trabalhista

Texto completo:

Versão Virtual (220-233)

Referências


ALMEIDA, Victor Hugo de. Consumo e trabalho: impactos no meio ambiente do trabalho e na saúde do trabalhador. 2013. 241 f. Tese (Doutorado em Direito) – Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, USP, São Paulo, 2013.

_________; SOUZA, André Evangelista. O direito à saúde na perspectiva labor-ambiental. In: MIESSA, Élisson; CORREIA, Henrique. Temas atuais de Direito e Processo do Trabalho. Salvador: JusPODIVM, 2013.

ALVARENGA, Darlan. 71 mil brasileiros concentram 22% de toda riqueza; veja dados da Receita. G1, São Paulo, 1 ago. 2015. Disponível em: . Acesso em: 29 jun. 2016.

BARROS, Ricardo Paes de; HENRIQUES, Ricardo; MENDONÇA, Rosane. Desigualdade e Pobreza no Brasil: retrato de uma estabilidade inaceitável. Rev. bras. Ci. Soc., São Paulo, v. 15, n. 42, p. 123-142, fev. 2000.

BRASIL. Atividade legislativa. Senado Federal, Brasília, DF, 18 mar. 2015. Disponível em: . Acesso em: 29 jun. 2016.

DIAS, Maria Berenice. Direito a felicidade. Disponível em: . Acesso em: 23 jul. 2016.

EASTERLIN, Richard A. Will Raising the Incomes of All Increase the Happiness of All? Journal of Economic Behavior and Organization, n. 27, p. 35-48, 1995.

FREUD, Sigmund. El malestar en la cultura. Madrid: Alianza Editorial, 2002.

G1. Brasil é o 12º país mais feliz do mundo, segundo pesquisa. G1, São Paulo, 19 jul. 2010. Disponível em: . Acesso em: 06 jul. 2016.

HOBBES, Thomas. Leviatã. São Paulo: Edipro, 2015.

HORBACH, Beatriz Bastide. Constitucionalizar a felicidade é cura ou placebo? Conjur, São Paulo, 3 ago. 2013. Disponível em: . Acesso em: 01 jul. 2016.

KANT, Immanuel. Fundamentação da metafísica dos costumes. Tradução de Paulo Quintela. Lisboa: Ed. 70, 2004.

MACHADO, Costa. Constituição Federal interpretada. 5. ed. São Paulo: Manole, 2014.

MENDES, Alexandre. Joaquín Herrera Flores e a dignidade da luta. Revista Direito e Práxis, v. 2, n. 1, p. 77-96, 2011.

NUSSBAUM, Martha C. Who is the happy warrior? Philosophy poses questions to psychology. Journal of Legal Studies, v. 37, n. S2, p. S81-S113, jun. 2008.

OIT. Tendencias Mundiales del Empleo. 2014. Disponível: . Acesso em: 06 jul. 2016.

ONUBR, ONU Brasil. A felicidade não é uma futilidade nem um luxo, diz secretário-geral da ONU em Dia Internacional. Disponível em: . Acesso em: 22 jun. 2016.

PAULI, Paulo César do Amaral de. La reparación del daño existencial en el derecho del trabajo brasileño como forma de protección a la dignidad de la persona humana. In: GARRIGA DOMÍNGUEZ, Ana; SÁNCHEZ BRAVO, Álvaro. Derechos humanos, protección medioambiental y nuevos retos sociales. Madrid: Editorial Dykinson, 2015.

RUBIN, Beatriz. O direito a busca pela felicidade. Revista Brasileira de Direito Constitucional, n. 16, p. 35-49, jul./dez. 2010.

RUBIO, David Sánchez. Derechos Humanos, no colonialidad y otras luchas por la dignidad: una mirada parcial y situada. Revista Campo jurídico, v. 3, n. 1, 2015.

SABONGI, Camila Martinelli. O dano existencial aplicado ao âmbito juslaboral. 2015. 72 f. Trabalho de conclusão de curso (Graduação em Direito) – Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, UNESP, Franca, 2015.

SANTOS, Boaventura de S. Os direitos humanos na pós-modernidade. Direito e sociedade, Coimbra, n. 4, mar. 1989.

UOL. Desemprego sobe a 8,9% no terceiro trimestre, o maior desde 2012, diz IBGE. UOL Economia, São Paulo, 24 nov. 2015. Disponível em: . Acesso em: 29 jun. 2016.

_____. ONU reconhece busca pela felicidade como objetivo fundamental. UOL Notícias, São Paulo, 19 jul. 2011. Disponível em: . Acesso em: 22 jun. 2016.

VEENHOVEN, Ruut. Is happiness relative? Social Indicators Research, v. 24, p. 1-34, 1991.

WANDELLI, Leonardo Vieira. O direito ao trabalho como direito humano e fundamental. 2008. Monografia (Especialização em Direito) – Universidade Estadual do Paraná, Curitiba, 2008.

WOLKMER, Antônio Carlos. Pluralismo jurídico, direitos humanos e interculturalidade. Revista Sequência, n. 53, p. 113-128, dez. 2006.




DOI: https://doi.org/10.22456/0104-6594.72933

Apontamentos

  • Não há apontamentos.