O Recurso Extraordinário 795.567/PR: análise dos fundamentos do Acórdão em face da natureza jurídica da Transação Penal

Everton Luis Comoreto, Karin Milene Bender, Paulo Eduardo de Almeida Vieira

Resumo


O Recurso Extraordinário 795.567/PR: análise dos fundamentos do Acórdão em face da natureza jurídica da Transação Penal

The Extraordinary Appeal 795,567/PR: analysis of the grounds of judgment from the perspective of the Criminal Consent Decree legal nature

 

Everton Luis Comoreto[1]

Karin Milene Bender[2]

Paulo Eduardo de Almeida Vieira[3]

 

RESUMO: O instituto da Transação Penal foi analisado sob o ponto de vista de sua natureza jurídica e os efeitos produzidos. Além disso foram analisados brevemente alguns conceitos básicos acerca a definição e origem do instituto da Transação.  Por fim, analisou-se de maneira também breve algumas teorias acerca da Jurisdição, em especial a voluntária, a fim de melhor conceituar a transação, em sentido amplo, como método autocompositivo de solução de litígios. Ainda, analisou-se as teorias acerca da ação penal e sentença condenatória para uma melhor percepção das suas diferenças para com o instituto da transação. Como finalização, utilizou-se os fundamentos expostos no Acórdão resultante do Recurso Extraordinário n. 795.567/PR, e que versou acerca da questão trazida inicialmente, isto é, a possibilidade ou não de se extrair os efeitos extrapenais da sentença homologatória da Transação Penal, confrontando-os com toda a teoria exposta, prevendo a possibilidade da sua utilização como precedente em julgamentos futuros referentes ao tema.

 

PALAVRAS-CHAVE: Transação Penal. Autocomposição. Direito Processual Penal.

 

ABSTRACT: The institute of Criminal Consent Decree (Transação Penal) was analyzed from the point of view of its legal nature and the effects produced. In addition, some basic concepts on the definition and origin of this institute were briefly analyzed. Finally, some theories on Jurisdiction were also briefly analyzed, especially the non-contentious one, in order to better conceptualize the criminal consent decree, in a broad sense, as a alternative dispute resolution method. It was also briefly examined some theories about criminal prosecution and enforceable judgment for a better perception of their differences to the criminal consent decree. At last, the expressed grounds brought in the Extraordinary Appeal 795,567/PR judgment, which dealt with the question initially raised, namely, the possibility to apply the non-criminal effects of a criminal sentence to a criminal consent decree ratification, were confronted with all the theory exposed, facing the possibility of its use as a precedent in future trials concerning the theme.

 

KEYWORDS: Criminal Consent Decree. Alternative Dispute Resolution.  Criminal Procedure.


[1] Mestrando em Qualidade Ambiental pela Universidade Feevale, Rio Grande do Sul pela. Bacharel em Direito pela Universidade Feevale, Rio Grande do Sul, 2015.

[2] Mestre em Geologia pela Universidade do Rio dos Sinos - UNISINOS, Rio Grande do Sul, 2003. Discente de Especialização em Direito Público na Fundação Superior do Ministério Público, Rio Grande do Sul.

[3] Professor na Universidade Feevale, Rio Grande do Sul. Doutorando em Direito Público pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos - UNISINOS, Rio Grande do Sul. Mestre em Direito pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos - UNISINOS, Rio Grande do Sul, 2004.


Palavras-chave


Transação Penal; Direito Penal; Direito Processual Penal; Autocomposição

Texto completo:

Versão Virtual (287-307)

Referências


ARRUDA ALVIM. Direito Privado. v. 2. Coleção Estudos e Pereceres II. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2002.

AZEVEDO, Rodrigo Ghiringhelli de. Descarcerização e Segurança Pública. Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Carta Capital, [sp.], 2011. Disponível em: . Acesso em: 19 jun. 2016.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal, 2001. Recurso Extraordinário 619.224/MG. Disponível em: Acesso em: 23 jun. 2016.

______. Supremo Tribunal Federal, 2005. Habeas Corpus 86.694/SP. Disponível em: . Acesso em: 23 jun. 2016.

______. Supremo Tribunal Federal, 2006. Habeas Corpus 88.785/SP. Disponível em: . Acesso em: 15 nov. 2015.

______. Supremo Tribunal Federal, 2015. Recurso Extraordinário 795.567/PR. Disponível em: Acesso em: 08 nov. 2015.

BUJÁN, Antonio Fernández de. Los principios informadores de la jurisdicción voluntaria: una propuesta de futuro. AFDUAM, n. 5, p. 89-148, 2001. Disponível em: . Acesso em: 15 set. 2015.

CAEIRO, Pedro. Sentido e Função do Instituto da Perda de Vantagens Relacionadas com o Crime no Confronto com Outros Meios de Prevenção da Criminalidade Reditícia. Revista Brasileira de Ciências Criminais, São Paulo: Revista dos Tribunais, v. 100, p. 453-501, jan. – fev. 2013. Disponível em: . Acesso em: 15 nov. 2015.

CALAMANDREI, Piero. Direito Processual Civil. Estudos sobre o processo civil. Traduzido por Luiz Abezia e Sandra Drina Fernadez Barbery. v. 1. Campinas: Bookseller, 1999.

CARNELUTTI, Francesco. Sistema de Direito Processual Civil. Introdução e Função do Processo Civil. Traduzido por Hiltomar Martins Oliveira. v. I. São Paulo: Classic Book, 2000.

CASTILLO, Niceto Alcalá-Zamora Y. Estudios de Teoria General e História del Processo. Tomo 1, n. 1-11. México: Universidad Nacional Autónoma, 1992.

______. Proceso, Autocomposición y Autodefensa (Contribuición al estudio de los fines del processo). 1. reimpressão. México: Universidad Automona de México, 2000.

DEMERCIAN, Pedro Henrique; MALULY, Jorge Assaf. Juizados Especiais Criminais – comentários. Rio de Janeiro: Aide, 1996.

GOMES, Marcus Alan de Melo. Culpabilidade e Transação Penal nos Juizados Especiais Criminais. São Paulo: Juarez de Oliveira, 2003.

GRINOVER, Ada Pellegrini; GOMES FILHO, Antônio Magalhães; FERNANDES, Antonio Scarance; GOMES, Luiz Flávio. Juizados Especiais Criminais: comentários à Lei 9.099 de 26.09.1995. 2. ed. rev., atual. e ampl. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1997.

GROSSI, Ana Claudia. Pode o acordo ser uma solução para os problemas da morosidade e sobrecarga da justiça? - subsídios para um debate, a partir da experiência alemã. Revista Brasileira de Ciências Criminais, São Paulo: Revista dos Tribunais, v. 114, p. 133–171, mai – jun, 2015. Disponível em: . Acesso em: 02 nov. 2015.

JARDIM, Afrânio Silva. Ação Penal Pública. 4. ed. rev. e atual. segundo a lei 9.099/95. Rio de Janeiro: Forense, 2001.

______. Direito Processual Penal. 6. ed. rev. e atual. Rio de Janeiro: Forense, 1997.

JARDIM, Afrânio Silva. Os Princípios da Obrigatoriedade e Indisponibilidade da Ação Penal Pública nos Juizados Especiais Criminais. Revista da Escola Superior do Ministério Público do Distrito Federal, Distrito Federal, ano 3, n. 6, p. 24, jun/dez. 1996. Disponível em: . Acesso em: 07 jun. 2014.

KARAM, Maria Lúcia. Anotações sobre aspectos penais e processuais penais das leis 9.099/95 e 10.259/2001 - leis dos juizados especiais. Doutrinas Essenciais Processo Penal. São Paulo: Revista dos Tribunais, v. 4, p. 1153, jun. 2012. Disponível em: . Acesso em: 13 mai. 2015.

MACHADO, Agapito. A sentença penal e o código penal brasileiro de 1984. Revista dos Tribunais, São Paulo: Revista dos Tribunais, v. 671, p. 271 – 284, set. 1991. Disponível em: . Acesso em: 14 nov. 2015.

MIRABETE, Julio Fabbrini. Juizados Especiais Criminais – comentários, jurisprudência, legislação. 4. ed. rev. e atual. São Paulo: Atlas, 2000.

MIRANDA, Pontes de. Tratado de direito privado. v. III, Rio de Janeiro: Borsói, 1954.

MOLINA, Antonio García-Pablos de; GOMES, Luiz Flávio. Criminologia. 8. ed. rev., atual. e ampl. Coleção Ciências Criminais. v. 5. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2012.

MOREIRA, José Carlos Barbosa. Conteúdo e efeitos da sentença: variações sobre o tema. Revista de Processo, São Paulo: Revista dos Tribunais, v. 40, [sp], out. 1985. Disponível em: . Acesso em: 14 nov. 2015.

______. La transaccion penal brasileña y el derecho norteamericano. Revista de Processo, São Paulo: Revista dos Tribunais, v. 100, p. 131, out. 2000. Disponível em: . Acesso em: 13 mai. 2015.

NUCCI, Guilherme de Souza. Código Penal Comentado. 14. ed., ver, atual. e ampl. Rio de Janeiro: Grupo Gen, 2014.

PANZERI, André de Almeida. A sanção de perda de bens no direito penal econômico – análise comparativa dos modelos português e brasileiro. Doutrinas Essenciais de Direito Penal Econômico e da Empresa. São Paulo: Revista dos Tribunais, v. 2, p. 43-79, jul. 2011. Disponível em: Acesso em: 14 nov. 2105.

PINHO, Humberto Dalla Bernardina de. A Introdução do instituto da Transação Penal no direito brasileiro – e as questões daí decorrentes. Rio de Janeiro: Lúmen Juris, 1998.

PORTO, Hermínio Alberto Marques; NERY JUNIOR, Nelson. Juizados especiais para julgamento das infrações penais de menor potencial ofensivo. Doutrinas Essenciais Processo Penal. São Paulo: Revista dos tribunais, vol. 4, p. 867 – 887, jun. 2012. Disponível em: . Acesso em: 03 nov. 2015.

PRADO, Geraldo Luiz Mascarenhas. Elementos para uma análise crítica da Transação Penal. Rio de Janeiro: Lúmen Juris, 2003.

REALE JÚNIOR, Miguel. Simplificação processual e desprezo ao direito penal. Doutrinas Essenciais Processo Penal. São Paulo: Revista dos tribunais, vol. 1, p. 321 – 345, jun. 2012. Disponível em:

. Acesso em: 14 nov. 2015.

SANTORO FILHO, Antônio Carlos. A natureza jurídica da Transação Penal. Tribuna da Magistratura: Caderno de Doutrina, São Paulo: Aasp, p. 9-11, mai. 1996.

SANTOS, Lycurgo de Castro. A natureza jurídico-penal da multa e da restrição de direitos na Transação Penal (Lei 9.099/95). Boletim IBCCRIM, ano 4, n. 38, [sp], fev. 1996. Disponível em: . Acesso em: 13 mai. 2015.

______. Culpabilidade e pena na lei 9.099/95. Revista Brasileira de Ciências Criminais, São Paulo: Revista dos Tribunais, v. 13, p. 130, jan. 1996. Disponível em: . Acesso em: 13 mai. 2015.

SILVA, Ovídio Araujo Baptista da. Conteúdo da sentença e coisa julgada. Doutrinas Essenciais de Processo Civil. São Paulo: Revista dos Tribunais, v. 6, p. 287, out. 2011. Disponível em: . Acesso em: 14 nov. 2015.

SIRVINSKAS, Luís Paulo. A autonomia privada, a Transação Penal e seus efeitos civis. Revista dos Tribunais, São Paulo: Revista dos Tribunais, v. 780, p. 460, out. 2000. Disponível em: . Acesso em: 13 mai. 2015.

TOURINHO FILHO, Fernando da Costa. Comentários à Lei dos Juizados Especiais Criminais. São Paulo: Saraiva, 2000.

TOURINHO NETO, Fernando da Costa; FIGUEIRA JÚNIOR, Joel Dias. Juizados Especiais Estaduais Cíveis e Criminais. Comentários à Lei 9.099/1995. 7. ed. rev., atual. e ampl. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2011.

TUCCI, Rogério Lauria. Sentença Penal. Doutrinas Essenciais Processo Penal. São Paulo: Revista dos Tribunais, v. 5, p. 263, jun. 2012. Disponível em: . Acesso em: 14 nov. 2015.

WAMBIER, Luiz Rodrigues. Execução de sentença que homologa transação que trata de obrigação de fazer ou não fazer. Peculiaridades. Necessidade de relação processual autônoma. Presença de mero juízo de delibação. Necessidade de citação da parte transigente tida por inadimplente. Oportunidade de exercício do direito de defesa. Prazo para os embargos. Revista de Processo, São Paulo: Revista dos Tribunais, v. 114, p. 240, mar. 2004. Disponível em: . Acesso em: 02 nov. 2015.

ZANATTA, Airton. A Transação Penal e o poder discricionário do ministério público. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris, 2001.




DOI: https://doi.org/10.22456/0104-6594.62722

Apontamentos

  • Não há apontamentos.