Mais dança na escola: apreciação estética e formação

José Rafael Madureira, Mônica Freitas Lucinda de Souza, Daniel Gonçalves Pereira, Flor Murta

Resumo


A dança está presente na vida das pessoas desde tempos remotos. Ela nasce da necessidade humana de conexão e harmonização com as vozes da natureza. Como linguagem e arte, já esteve intimamente associada à rituais sagrados, casamentos, funerais, especialmente para os povos orientais. No contexto da civilização moderna europeia, a dança se esvaziou dessa dimensão transcendental. A virada do século XIX para o século XX foi cenário de grandes revoluções para a dança, que recuperou as suas forças generativas, apresentando-se como uma arte independente, como linguagem cênica transnacional. Rudolf Laban, foi um dos protagonistas dessa revolução. Ao pensar a dança como Coreologia (RENGEL, 2014), Laban revelou uma genialidade sem precedentes. Assim, diante de todo esse potencial cultural e formativo, acreditamos que a dança deveria estar na escola. Com base nessa concepção, escrevemos o projeto Processo Criativo em Dança, contemplado por três vezes pelo Programa de Bolsas de Apoio à Cultura e à Arte (Procarte), um edital criado pela Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (PROEXC) da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) com o propósito de buscar estratégias para ampliar o acesso da comunidade acadêmica às diversas expressões culturais e artísticas.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.