Analisando a Participação e a Aprendizagem em Comunidades Virtuais a partir da Teoria de Barbara Rogoff.

Raphael A. Dourado, Candy E. Marques-Laurendon, Rodrigo Lins Rodrigues, Alex Sandro Gomes

Resumo


O avanço nas telecomunicações tem viabilizado formas cada vez mais sofisticadas de interação social entre indivíduos geograficamente distantes. Estes recursos têm sido utilizados para diversos fins, dentre eles viabilizar o surgimento das comunidades virtuais de aprendizagem. No entanto, ainda há uma carência de instrumentos que auxiliem na avaliação processual da aprendizagem nestes contextos. Neste artigo, é discutida a adequabilidade da teoria sociocultural de Barbara Rogoff, em especial a noção dos “planos de análise”, como estratégia para avaliar de forma processual a aprendizagem em comunidades virtuais. São apresentados os principais construtos da teoria, os trabalhos encontrados na literatura que a utilizam no contexto de comunidades virtuais, e as possibilidades de investigação ainda não exploradas.

Palavras-chave


avaliação processual; comunidades virtuais; Barbara Rogoff.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1679-1916.86041

Direitos autorais 2018 RENOTE



RENOTE - Revista Novas Tecnologias na Educação      ISSN 1679-1916

A RENOTE, possui a nota Qualis B1 (Ensino) e B1 (Interdisciplinar) no Sistema de Avaliação da CAPES.

Centro Interdisciplinar de Novas Tecnologias na Educação (CINTED) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Avenida Paulo Gama, 110 - Anexo III – 3o andar
Porto Alegre, RS, Brasil – CEP: 90040-060

Telefone: (51) 3308-4100
E-mail: renote@cinted.ufrgs.br