Ensino de Química com Smartphones e Tablets

Autores

  • Aline Grunewald Nichele IFRS - Campus Porto Alegre
  • Letícia Zielinski do Canto IFRS - Campus Porto Alegre

DOI:

https://doi.org/10.22456/1679-1916.67380

Palavras-chave:

smartphones, tablets, apps, educação em química

Resumo

O maior acesso dos estudantes a smartphones e tablets oportuniza a inserção desses dispositivos móveis na educação. Nesse contexto, o objetivo desse artigo é conhecer e apresentar as estratégias de ensino de Química por meio de smartphones e tablets que vem sendo desenvolvidas no âmbito da educação básica e superior, para que essas sirvam de motivação e inspiração aos professores dessa ciência para a adoção desses dispositivos em suas aulas. Para isso, foi efetuada uma revisão de artigos científicos utilizando-se as bases de dados “Scopus”, “Web of Science” e “Scielo”, compreendendo o período de 2011 a 2015. A análise dos artigos possibilitou distingui-los em duas categorias a partir dos aplicativos para smartphones e tablets utilizados nas estratégias de ensino desenvolvidas: as estratégias que utilizam apps “gerais” e as estratégias que utilizam apps de Química. As estratégias de ensino mais inspiradoras são relatadas. O artigo é finalizado com uma análise de aspectos relevantes para a adoção smartphones, tablets e Apps para o ensino de química.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-07-26

Como Citar

GRUNEWALD NICHELE, A.; ZIELINSKI DO CANTO, L. Ensino de Química com Smartphones e Tablets. RENOTE, Porto Alegre, v. 14, n. 1, 2016. DOI: 10.22456/1679-1916.67380. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/renote/article/view/67380. Acesso em: 4 out. 2022.

Edição

Seção

TIC e seus efeitos na configuração das ecologias cognitivas