A CAPACIDADE INOVATIVA E O DESEMPENHO DE EMPRESAS INOVADORAS BRASILEIRAS

Autores

  • Kléber Formiga Miranda Universidade Federal Rural do Semi-Árido – RN
  • Alessandra Carvalho de Vasconcelos Universidade Federal do Ceará – Fortaleza, CE
  • Márcia Martins Mendes De Luca Universidade Federal do Ceará – Fortaleza, CE

Palavras-chave:

Capacidade inovativa, Desempenho empresarial, Vantagem competitiva, VBR

Resumo

Com base nos pressupostos teóricos da Visão Baseada em Recursos (VBR), considerando a utilização de recursos disponíveis internamente nas organizações para manutenção de sua vantagem competitiva por meio da diferenciação, a pesquisa analisa a relação entre a capacidade inovativa e o desempenho de empresas brasileiras. A amostra foi extraída a partir das empresas listadas na BM&F Bovespa consideradas inovadoras, segundo o IBI. As variáveis de capacidade inovativa coletadas a partir das PINTECs 2005 e 2008 e de desempenho através do Economática® foram tratadas por meio de análises de correlação e de regressão. Os resultados indicam que os desempenhos econômico (ROA) e operacional (EBITDA/Ativo Total) não são significativamente influenciados pela capacidade inovativa. No entanto, quando se separa a capacidade inovativa por seus componentes (inovação de produto, processo, organizacional e marketing), observa-se uma influência positiva de inovação de produto sobre ambos os desempenhos. Por sua vez, o desempenho de valor (MVA) é influenciado positiva e significativamente pela capacidade inovativa. Esses resultados sugerem melhores resultados contábeis quando as empresas inovam no produto e maior geração de valor pelo mercado ao possuir um portfólio diversificado de inovação, ou seja, maior capacidade inovativa. Não se pode, entretanto, negligenciar as inovações em processo, organizacional e marketing. A pouca relação dessas inovações, perceptíveis no âmbito interno da empresa, com o desempenho pode residir nas diferentes estratégias inovativas adotadas em prol do objetivo principal de cada empresa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-08-05

Como Citar

Formiga Miranda, K., Carvalho de Vasconcelos, A., & Martins Mendes De Luca, M. (2015). A CAPACIDADE INOVATIVA E O DESEMPENHO DE EMPRESAS INOVADORAS BRASILEIRAS. Revista Eletrônica De Administração, 21(2), 269–299. Recuperado de https://www.seer.ufrgs.br/index.php/read/article/view/47273