EMPRESAS TURÍSTICAS EM AMBIENTE GLOBALIZADO: MARKETING E COMPETITIVIDADE. ESTUDO DE CASOS DE CLUSTERS TURÍSTICOS.

Autores

  • Geraldo Luciano Toledo Universidade de São Paulo - São Paulo, SP
  • Jesús Álvarez Valdés Universidade de São Paulo - São Paulo, SP
  • Álvaro Castroman Pollero Universidade de São Paulo - São Paulo, SP

Palavras-chave:

Turismo, competitividade, globalização,

Resumo

A importancia do turismo está sendo devidamente reconhecida a partir da globalização. A estratégia dos agentes deste setor está configurando-se competitivamente a partir de estruturas denominadas clusters. Neste trabalho presenta-se un modelo teórico referencial que analiza as dimensões da competitividade dos agentes que pertenecem a um cluster turístico. O alcance da competitividade dos agentes é proporcional ao vetor resultante das estratégias competitivas, as estratégias cooperativas e as de relacionamento com os turistas. O rol de marketing de relacionamento é enfatizado por ser o elemento que dinamiza a diferenciação no processo de formação de um cluster turístico. O modelo é desenvolvido e examinado através da metodologia estudo de caso. Os resultados obtidos nesta investigação ratificam a validez do modelo proposto, permitindo destacar as características dos diferentes estados de desenvolvimento dos clusters turísticos analizados. Segundo as forças do modelo descritas neste trabalho, os casos de cluster foram eleitos por estes critérios:
1- Estado de sustentabilidade. O caso do cluster turístico do Sul da Austrália, pode servir de modelo referencial para aqueles destinos turísticos empenhados em alcançar um posicionamento competitivo mundial distintivo. Foram consideradas todas as forças necessarias competitivas y cooperativas (públicas-privadas) para potencializar o desenvolvimento sustentável, incluindo um marketing de relacionamento com o cliente.
2- Estado de desenvolvimento. O cluster ecológico da Costa Rica destaca-se pelos resultados da gestão obtidos ao alcançar a necessária integração dos setores públicos e privados em seus objetivos. Sua planificação estratégica cooperativa e competitiva (pública-privada) baseia-se na retroalimentaçao integrada e é um dos principais fatores que aseguram seu desempenho.
3- Estado de iniciação. No Nordeste do Brasil, desenvolve-se um profundo processo de reestruturação da perspectiva turística, para alcançar a etapa da massa crítica e natureza da demanda que asegure o desenvolvimento sustentável deste destino.
No conceito de sustentabilidade do modelo proposto neste estudo, aprofunda-se nos vínculos diretos que existem entre as atividades turísticas, a sociedade anfitriã e a qualidade do meio ambiente, demonstrando-se que o turismo tem muito que oferecer e que ganhar convertendo-se no líder do desenvolvimento sustentável. Isto é particularmente certo nos países em vías de desenvolvimento, nos que a industria turística constitui tanto uma sustentação do desenvolvimento, como um veículo para o contato social-cultural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-09-17

Como Citar

Toledo, G. L., Álvarez Valdés, J., & Castroman Pollero, Álvaro. (2013). EMPRESAS TURÍSTICAS EM AMBIENTE GLOBALIZADO: MARKETING E COMPETITIVIDADE. ESTUDO DE CASOS DE CLUSTERS TURÍSTICOS. Revista Eletrônica De Administração, 9(3). Recuperado de https://www.seer.ufrgs.br/index.php/read/article/view/42679