A CONSTRUÇÃO DE UM INSTRUMENTO DE COLETA DE DADOS A PARTIR DO MODELO DE INDICADORES BIOPSICOSSOCIAL E ORGANIZACIONAL – BPSO-96 E DO MODELO DE COMPETÊNCIAS DO BEM-ESTAR – BEO, SOBRE GESTÃO DE QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO

Autores

  • Ana Cristina Limongi-França FEA/USP
  • Andréa Yumi Sugishita Kanikada FEA/USP

Palavras-chave:

Qualidade de Vida no Trabalho, Metodologia de Pesquisa, Educação, Professores de inglês, Condições de trabalho

Resumo

O objetivo deste artigo é descrever a construção do instrumento de coleta de dados de uma pesquisa sobre Gestão de Qualidade de Vida no Trabalho dos professores de inglês através da aplicação dos modelos de análise biopsicossocial e organizacional – BPSO-96 combinado com o modelo de competência do bem-estar organizacional – BEO. O problema de pesquisa partiu da percepção da Qualidade de Vida no Trabalho dos professores de inglês, tendo em vista as condições contratuais heterogêneas, freqüentemente precárias e com grande diversidade de localização, carga de trabalho, história de vida e expectativas profissionais. A estrutura do instrumento análise foi organizada a partir dos indicadores BPSO-96 e dos fatores que formam a competência do bem-estar organizacional. Pôde-se verificar, por meio da combinação de modelos que o instrumento de coleta de dados deve alinhar desde a definição das variáveis a serem pesquisadas e seus respectivos indicadores até a concretização da pesquisa. É possível a partir da reavaliação do instrumento identificar e discutir o que pode ser melhorado ou mantido, gerando contínuo aperfeiçoamento e visão crítica dos modelos e do instrumento construído.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-06-19

Como Citar

Limongi-França, A. C., & Sugishita Kanikada, A. Y. (2013). A CONSTRUÇÃO DE UM INSTRUMENTO DE COLETA DE DADOS A PARTIR DO MODELO DE INDICADORES BIOPSICOSSOCIAL E ORGANIZACIONAL – BPSO-96 E DO MODELO DE COMPETÊNCIAS DO BEM-ESTAR – BEO, SOBRE GESTÃO DE QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO. Revista Eletrônica De Administração, 12(6). Recuperado de https://www.seer.ufrgs.br/index.php/read/article/view/40282