A EFETIVIDADE DAS AÇÕES PARA PROMOVER O EMPREENDEDORISMO: O CASO DA FEEVALE

Autores

  • Serje Schmidt Centro Universitário FEEVALE – RS/Brasil
  • Maria Cristina Bohnenberger Centro Universitário FEEVALE – RS/Brasil

Palavras-chave:

empreendedorismo, ensino superior, instrumento de medição, intenção empreendedora, família

Resumo

Há algum tempo, estudos apontam a contribuição do empreendedorismo para o desenvolvimento regional. Em virtude disso, instituições de ensino e órgãos governamentais, em especial, promovem ações para o desenvolvimento do perfil empreendedor e da intenção empreendedora dos indivíduos. No entanto, pesquisas divergem tanto sobre o conceito e as características do empreendedor, quanto sobre métodos diferentes para medir a efetividade das iniciativas que visam promovê-los, relegando a um segundo plano a influência familiar em seus modelos. Limitações metodológicas observadas nesses estudos, que abordam um problema tipicamente multicausal, impõem restrições à análise de seus resultados. O presente artigo tem como objetivo construir e validar um modelo para verificar o quanto as atividades realizadas na Feevale contribuem para o desenvolvimento do perfil empreendedor e das intenções empreendedoras dos alunos. Um modelo de medição foi construído e validado, e um modelo estrutural foi proposto para esta finalidade. As estimativas padronizadas do modelo indicaram uma relação mais forte entre a família e o perfil empreendedor do que as atividades da instituição de ensino que visam promovê-lo. Os resultados sugerem que o perfil empreendedor deve ser trabalhado desde o início das relações sociais na vida dos alunos, assim como a revisão das práticas de ensino e extensão da Feevale, no sentido de trabalhar de forma mais intensiva algumas características empreendedoras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-04-24

Como Citar

Schmidt, S., & Bohnenberger, M. C. (2013). A EFETIVIDADE DAS AÇÕES PARA PROMOVER O EMPREENDEDORISMO: O CASO DA FEEVALE. Revista Eletrônica De Administração, 14(1), 187–213. Recuperado de https://www.seer.ufrgs.br/index.php/read/article/view/39269