Planejamento educacional e gestão democrática: dimensões política e instrumental no PAR

Autores

  • Gilmar Barbosa Guedes Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Maria Goretti Cabral Barbalho Universidade Federal do Rio Grande do Norte

DOI:

https://doi.org/10.21573/vol32n012016.62679

Palavras-chave:

Política Educacional. Planejamento Educacional. Gestão Democrática. PAR. Qualidade da educação

Resumo

O artigo reporta-se a uma investigação acerca da implementação do Plano de Ações Articuladas (PAR). Tem como objetivo analisar, em municípios do Rio Grande do Norte, as vertentes do planejamento educacional nesse processo, focalizando os indicadores relativos à área da gestão democrática. O estudo aponta que os municípios tendem a assumir a gestão com características dos modelos gerencial, democrático-participativo ou uma síntese dos dois, a depender dos interesses econômicos, das condições geopolíticas e da cultura organizacional do contexto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gilmar Barbosa Guedes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Possui graduação em Pedagogia (1999), Mestrado (2002) e Doutorado (2007) em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Política e Gestão da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: Gestão/administração Educacional, Organização Estudantil na Educação Básica e Financiamento Educacional. Professor Adjunto III do Departamento de Fundamentos e Políticas da Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Professor vinculado ao Programa de Pós-graduação em Educação do Centro de Educação da UFRN. Membro da Comissão Assessora da Área de Pedagogia do INEP-ENADE-2014.

Maria Goretti Cabral Barbalho, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Possui graduação em Pedagogia, Mestrado (2006) e Doutorado(2011) em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Atualmente é professor associado da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Política Educacional, atuando principalmente nos seguintes temas: política educacional, gestão escolar, gestão democrática, descentralização e educação superior, acesso, internacionalização.

Referências

ALBUQUERQUE, Eugênia Morais de. A implantação do programa gestão nota 10 no sistema municipal de educação em Mossoró/RN. 2010, 181 f. Dissertação (Mestrado. em Educação) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal, 2010.

ALVES, Maria do Socorro Valois. Financiamento da educação: uma visão geral sobre seus mecanismos e possibilidades de valorizar o magistério público. In: GOMES, Alfredo Macedo (org.). Políticas Públicas e Gestão da Educação. Campinas: Mercado das Letras, 2011, p. 119-152 (Série Estudos em Políticas Públicas e Educação).

AZEVEDO, Sérgio. Políticas públicas: discutindo modelos e alguns problemas de implementação. In: Santos Júnior, Orlando Alves dos et al. (Org.). Políticas públicas e gestão local: programa interdisciplinar de capacitação de conselheiros municipais. Rio de Janeiro: Fase, 2003. p. 38-44.

BARBALHO, Maria Goretti C.; FERREIRA, Maria Aparecida dos S. Planejamento e avaliação: concepção do gestor da escola pública do RN. In: CASTRO, Alda M. D. Araújo; BARBALHO, Maria Goretti C. (Org.) Formação de gestores a distância: uma contribuição para a gestão democrática da escola. Natal, RN: EDUFRN, 2012. p. 143-168.

BORDIGNON, Genuíno. Caminhar da Educação Brasileira: muitos planos, pouco planejamento. In: SOUZA, Donaldo Bello; MARTINS, Angela Maria (Org.). Planos de Educação no Brasil: Planejamento, Políticas, Práticas. São Paulo: Edições Loyola, 2014. p. 29-53.

BRASIL. Decreto n. 11.653, de 7 de abril de 2008. Dispõe sobre o Plano Plurianual para o período 2008/2011. Brasília/DF, 2008a. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11653.htm>. Acesso em: 15 jan. 2016.

______. Lei nº 11.738, de 16 de julho de 2008.Instituiu o piso salarial profissional nacional para os profissionais do magistério público da educação básica. 2008b. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11738.htm>. Acesso em: 30 jan. 2016.

______.Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação. Plano de Ações Articuladas - PAR 2007-2011: guia prático de ações. Brasília,DF, nov. 2007c. Disponível em:<http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/me004761.pdf>. Acesso em: 20 mar. 2015.

______. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9.394/96 de 20.12.1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Brasília/DF, 1996. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm>. Acesso em: 15 de dez. 2015.

______. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Brasília/DF, 1988. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm>. Acesso em: 30 jan. 2016.

FRIGOTTO, Gaudêncio. A Produtividade da Escola Improdutiva: Um (re)exame das relações entre educação e estrutura econômico-social capitalista. 5. ed. São Paulo: Cortez. 1999.

GARCIA, Luciane Terra dos Santos; QUEIROZ, Maria Aparecida de. Embates pedagógicos e organizacionais nas políticas de educação. Natal: EDUFRN, 2009.

GARCIA, Luciane erra dos Santos, BATISTA, Maria do Socorro da Silva; BARBOSA JÚNIOR, Walter Pinheiro. A construção da qualidade da educação brasileira fundamentada na avaliação e na gestão democrática. In: FRANÇA, Magna (Org.). Sistema Nacional de Educação e o PNE (2011-2020): diálogos e perspectivas. Brasília, DF: Líber Livro, 2009. p. 107-127.

GUEDES; Gilmar Barbosa; FRANÇA, Magna; FERREIRA, Maria Aparecida dos Santos. Financiamento da Educação Básica e o Regime de Colaboração: FUNDEF, FUNDEB e o Conselho de Controle Social: a matrícula e recursos do RN (1996-2010). In: FRANÇA, Magna; MOMO, Mariangela. Processo Democrático Participativo: a construção do PNE. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2014 (Série Educação Geral, Educação Superior e Formação Continuada do Educador). p. 289-324.

HIPÓLITO, Álvaro Moreira. Reorganização Gerencialista da Escola e Trabalho Docente. Educação: Teoria e Prática. v. 21, n. 38, p. 59-78, out./dez.2011.

LIBÂNEO, José Carlos. Organização e Gestão da Escola: teoria e prática. 6. ed. rev. e ampl. São Paulo: Heccus Editora, 2013.

MARQUES, Luciana Rosa. A Eleição de Diretores como Componente das Políticas de Descentralização/Democratização da Educação na Região Metropolitana do Recife. 25º Simpósio Brasileiro de Política e Administração da Educação (ANPAE). São Paulo, 2011. Disponível em: <http://www.anpae.org.br/simposio2011/cdrom2011/PDFs/trabalhos Completos/comunicacoesRelatos/0299.pdf.>.. Acesso em: 26 ago. 2011.

PREAL. Programa de Promoción de la Reforma Educativa en América Latina y el Caribe. Formas & reformas de la educacion. Série Políticas. 2005.

SANTOS, Evson Malaquias de Moraes. As antinomias do planejamento do PDE nas escolas públicas: neoliberalismo numa terra patrimonialista. In: GOMES, Alfredo Macedo (Org.). Políticas Públicas e Gestão da Educação. Campinas,SP: Mercado das Letras, 2011, p. 153-184 (Série Estudos em Políticas Públicas e Educação).

SCAFF, Elisângela Alves da Silva. Cooperação internacional para o planejamento da educação brasileira: aspectos teóricos e históricos. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília,DF, v. 88, n. 219, p. 331-344, maio/ago., 2007.

SILVA, Filipe Carreira da. Metamorfose do Estado: Portugal e a emergência do estado neo-social. In: CARMO, Renato Miguel; RODRIGUES, João (Org.). Onde Pára o Estado? Políticas públicas em tempos de crise. Lisboa, Portugal: Edições Nelson de Matos, 2009. p. 19-51.

SOUZA, Luciene Maria de. Estado e políticas educacionais: reflexões sobre as teses neoliberais. In: FRANÇA, Robson Luiz de (Org.). Educação e trabalho: políticas públicas e a formação para o trabalho. Campinas, SP: Editora Alínea, 2010. p. 57-71.

TORRES. Rosa María. Melhorar a qualidade da educação básica? As estratégias do Banco Mundial. In: TOMMASI, L. De; WARDE, J. M.; HADDAD, S. (Org.) O Banco Mundial e as políticas educacionais. São Paulo: Cortez;Ação Educativa/PUC-SP, 1996. p. 125-194.

VASCONCELLOS, Celso dos S. O Desafio da Qualidade da Educação. Texto Preparatório para a CONAE – s/d. Disponível em http://www.celsovasconcellos.com.br/Download/CSV-Desafio_da_Qualidade.pdf. Acesso em 26 jun. 2014.

Downloads

Publicado

2016-06-23

Como Citar

Guedes, G. B., & Barbalho, M. G. C. (2016). Planejamento educacional e gestão democrática: dimensões política e instrumental no PAR. Revista Brasileira De Política E Administração Da Educação, 32(1), 131–149. https://doi.org/10.21573/vol32n012016.62679