PAULO FREIRE: GESTÃO DEMOCRÁTICA EM TRÊS FORMAÇÕES

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21573/vol37n22021.113217

Palavras-chave:

Educação, gestão democrática, diálogo, movimento social, transformação social

Resumo

O artigo aborda três formações baseadas na gestão democrática de Paulo Freire, a partir da Educação Popular e da extensão universitária: o MOVA-SP, a Licenciatura em Educação do Campo e o Núcleo de Avaliação Institucional da FEUSP. A força e atualidade deste autor estão na gestão participativa, democrática e dialógica de diferentes coletivos em defesa de uma educação libertadora. São relatos que anunciam elementos para políticas alternativas e novas formas de organização da educação. São possibilidades contra hegemônicas a propostas conservadoras de conceber e fazer a gestão do trabalho pedagógico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sonia Maria Portella Kruppa, Universidade de São Paulo

Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo. Trabalhou com Paulo Freire na Secretaria Municipal de Educação de São Paulo (1989-1992) e com Paul Singer na Secretaria Nacional de Economia Solidária do Ministério do Trabalho e Emprego (SENAES-MTE 2003-2005). Professora do Departamento de Administração e Economia da Educação da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo e coordenadora do Núcleo de Avaliação Institucional (NAI-FEUSP), São Paulo, SP, Brasil. 

E-mail: skruppa@usp.br

Lattes: http://lattes.cnpq.br/1806242297161092

Silvia Andrade da Silva Telles, Universidade Nove de Julho – UNINOVE

Silvia Andrade da Silva Telles

Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação de Educação da Faculdade de Educação da Universidade Federal Fluminense. Professora do Ensino Superior aposentada - Universidade Nove de Julho – UNINOVE, São Paulo, SP, Brasil. 

E-mail: sastelles@gmail.com

Lattes: http://lattes.cnpq.br/8698901098929806

Aline Aparecida Angelo, Universidade Federal do Maranhão

Aline Aparecida Angelo

Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal de Viçosa, Mestre em Educação, pela Universidade Federal de São João del-Rei e Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo (USP). Professora no Curso de Licenciatura em Educação do Campo da Universidade Federal do Maranhão. Bacabal, MA, Brasil.  

E-mail: aline.angelo@ufma.br

Lattes: http://lattes.cnpq.br/3622212105238098

Referências

ARDOINO, Jacques; BERGER, Guy. L’évaluation comme interprétation. In POUR, nº 107, 1986, p. 120-27.

BERGER, Guy. A investigação em Educação - Modelos socioepistemológicos e inserção institucional. Educação, Sociedade & Culturas, nº 28, 2009, 175-192.

BEGNAMI, João Batista. Pedagogia da Alternância em movimento. In: Mônica Castagna Molina, Maria de Fátima Almeida Martins [orgs.]. Formação de formadores: reflexões sobre as experiências da licenciatura em educação do campo no Brasil. 1. ed. Belo Horizonte, MG: Autêntica Editora, 2019.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. CULTURA (Movimentos de cultura popular). In: STRECK, Danilo R.; REDIN, Euclides; ZITKOSKI, Jaime José (Org.). Dicionário Paulo Freire. 2 ed., rev. amp. 1. reimp. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2010.

BOGO, Ademar. Mística. In: CALDART et al. (Org.) Dicionário da Educação do Campo. Rio de Janeiro, São Paulo: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Expressão Popular, 2012.

CARROLL, Lewis. Aventuras de Alice no país das maravilhas; Através do espelho e o que Alice encontrou por lá. (Trad. por Maria Luiza Xavier de Almeida Borges). Rio de Janeiro: Zahar, 2009.

FREIRE, Paulo. Extensão ou Comunicação? Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

____________. Pedagogia do Oprimido. 11. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

____________. A Educação na Cidade. São Paulo: Cortez, 1994.

____________. Política e Educação: ensaios. 5. ed - São Paulo, Cortez, 2001

____________. Alfabetização e Cidadania. Texto publicado na Revista Educação Municipal, ano l, nº l, Junho/1988 – UNDIME – Ação Direta - Cortez Editora - São Paulo, 1988.

____________. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. 13. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

FREITAS, Luiz Carlos de. A Reforma Empresarial da Educação - nova direita, velhas ideias. 1 ed. São Paulo: Expressão Popular, 2018.

FONEC. FÓRUM NACIONAL DA EDUCAÇÃO DO CAMPO. Notas para análise do momento atual da Educação do Campo. In: SEMINÁRIO NACIONAL, Brasília, 2012.

GADOTTI, Moacir. Realidade. In: STRECK, Danilo R.; REDIN, Euclides; ZITKOSKI, Jaime José (Org.). Dicionário Paulo Freire. 2 ed., rev. amp. 1. reimp. Belo Horizonte: Autentica Editora, 2010.

MARTINS, Izabel Cristina; JEZINE, Edineide. Percepção de educação popular na expansão da Educação Superior do Campo. In: SOUSA, José Vieira de; BOTELHO, Arlete de Freitas; GRIBOSKI, Claudia Maffini (Orgs.). Produção do conhecimento e educação do campo na expansão da educação superior. Anápolis-GO: Ed. UEG, 2018.

MOVA-SP (Movimento de Alfabetização de Jovens e Adultos da Cidade de São Paulo). São Paulo. MOVA-SP, Caderno n° 1, Secretaria Municipal de Educação, outubro de 1989.

________. (Movimento de Alfabetização de Jovens e Adultos da Cidade de São Paulo). São Paulo. MOVA-SP, Construindo o Ciclo Ensino Fundamental I, setembro de 1992.

MENDES, Geisa do S. C. V. et al. Autoavaliação como estratégia de resistência à avaliação externa ranqueadora. Educ. Pesqui., São Paulo, v. 41, n. spe, p. 1283-1298, dez. 2015.

TERRASÊCA, Manuela. Questões Aprofundadas de Avaliação em Educação – Relatório da Disciplina. Porto: FPCE-UP, 2006.

SILVA, Maria do Socorro. Da raiz à flor: produção pedagógica dos movimentos sociais e a escola do campo. In: Molina, Mônica Castagna (Org.). Educação do Campo e Pesquisa: questões para reflexão. – Brasília: Ministério do Desenvolvimento Agrário, 2006.

Downloads

Publicado

2021-08-31

Como Citar

Kruppa, S. M. P., Telles, S. A. da S., & Angelo, A. A. (2021). PAULO FREIRE: GESTÃO DEMOCRÁTICA EM TRÊS FORMAÇÕES. Revista Brasileira De Política E Administração Da Educação, 37(2), 695–715. https://doi.org/10.21573/vol37n22021.113217

Edição

Seção

Paulo Freire e a gestão educacional