O IDEB e seus efeitos na organização do trabalho escolar

Leonice Matilde Richter, Maria Vieira Silva

Resumo


O artigo analisa os efeitos do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica na organização do trabalho pedagógico de 29 escolas estaduais mineiras. Pesquisa realizada por meio da análise dos índices e entrevistas com os/as profissionais das instituições. Os resultados evidenciam que os índices incitam as escolas a produzirem estratégias pedagógicas e gestoriais para garantir ou melhorar o desempenho. Contudo, existem diferenças nos efeitos de acordo com as metas e os resultados alcançados pelas escolas envolvidas na pesquisa. 

Palavras-chave


Avaliação Externa. Ideb. Organização do Trabalho Pedagógico.

Texto completo:

PDF

Referências


AFONSO, Almerindo Janela. Políticas educativas e avaliação educacional: para uma análise sociológica da reforma educativa em Portugal. Braga: Universidade do Minho, 1998.

AFONSO, Almerindo Janela. Questões, objetos e perspectivas em avaliação. Avaliação. vol.19, n.2, p.487-507, 2014. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/aval/v19n2/a13v19n2.pdf Acesso em: 20 jun. 2020.

AFONSO, Almerindo Janela. Políticas de responsabilização: equívocos semânticos ou ambiguidades político-ideológicas? Revista de Educação PUC-Campinas, v.23, n.1, p.8-18, mar. 2018. Disponível em: http://periodicos.puc-campinas.edu.br/seer/index.php/reveducacao/article/view/4052. Acesso em: 19 jun. 2020.

AGUIAR, Márcia Angela da S.; DOURADO, Luiz Fernandes. Apresentação. (In) A BNCC na contramão do PNE 2014-2024: avaliação e perspectivas. (Org.) AGUIAR, Márcia Angela; DOURADO, Luiz Fernandes. Recife: ANPAE, 2018.

APPLE, Michael W. Trabalho docente e textos: economia política das relações de classe e gênero em educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

BONAMINO, Alicia; SOUSA, Sandra Zákia. Três gerações de avaliação da educação básica no Brasil: interfaces com o currículo da/na escola. Educ. Pesqui. 2012, v.38, n.2, p.373-388. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022012000200007&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 19 de abr. de 2020.

BONDIOLI, Anna. Dos indicadores às condições do projeto educativo: um percurso pedagógico-político de definição e garantia da qualidade em creches da região da Emília-Romana. In: BONDIOLI, Anna (Org.). O projeto pedagógico da creche e a sua avaliação: a qualidade negociada. Campinas: Autores Associados, 2004

BRASIL. Portaria n. 931, de março de 2005. Institui o Sistema de Avaliação da Educação Básica, composto pela Prova Brasil (Anresc) e pelo Saeb (Aneb). Diário Oficial da União, Brasília, Seção 1, n.100, 2005.

BRASIL. Ministério da Educação. O Plano de Desenvolvimento da Educação: razões, princípios e programas. Brasília: MEC, 2007. Disponível em: http://www.portal.mec.gov.br/arquivos/livro/index.htm. Acesso em: 2 jul. 2015.

BRASIL. Ministério da Educação. PDE: Plano de Desenvolvimento da Educação - Prova Brasil: ensino fundamental: matrizes de referência, tópicos e descritores/2008. Brasília: MEC, Inep, 2011.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Nota Técnica n1: Índice de Desenvolvimento da Educação Básica – Ideb. Brasília: INEP/IDEB, [s.d.]. Disponível em:

http://download.inep.gov.br/educacao_basica/portal_ideb/o_que_e_o_ideb/Nota_Tecnica_n1_concepcaoIDEB.pdf. Acesso em: 04 abr. 2020.

BRASIL. Conselho Nacional De Educação. Conselho Pleno. Resolução CNE/CP nº 2, de 22 de dezembro de 2017 que institui e orienta a implantação da BNCC, a ser respeitada obrigatoriamente ao longo das etapas e respectivas modalidades no âmbito da Educação Básica.

FERNANDES, Reynaldo. Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) Inep/MEC, Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2007. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/documents/186968/485287/%C3%8Dndice+de+Desenvolvimento+da+Educa%C3%A7%C3%A3o+B%C3%A1sica+%28Ideb%29/26bf6631-44bf-46b0-9518-4dc3c310888b?version=1.4 Acesso em: 04 abr. 2020.

FREITAS, Luiz Carlos. A avaliação e as reformas dos anos de 1990: novas formas de exclusão, velhas formas de subordinação. Educ. Soc. 2004, vol.25, n.86, p.131-170. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0101-73302004000100008&lng=en&nrm=iso&tlng=pt Acesso em: 20 jun. 2020.

KLEIN, Ruben. Alguns aspectos da teoria de resposta ao item relativos à estimação das proficiências. Revista Ensaio. 2013, vol.21, n.78, p.35-56. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40362013000100003&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 26 de jun. 2020.

MINAS GERAIS. Secretaria de Estado de Educação. Resolução n. 2.253, de 9 de jan. de 2013, estabelece normas para a organização do Quadro de Pessoal das Escolas Estaduais e a designação para o exercício de função pública na rede estadual de educação básica. MG, Belo Horizonte, 2013.

OLIVEIRA, Dalila Andrade. A reestruturação do trabalho docente: precarização e flexibilização. Revista Educação & Sociedade, Campinas, v.25, n.89, p.1127-1144, set./dez. 2004. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-73302004000400003&lng=pt Acesso em: 26 de jun. de 2020.

OLIVEIRA, Romualdo Luiz Portela de; ARAUJO, Gilda Cardoso de. Qualidade do ensino: uma nova dimensão da luta pelo direito à educação. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro, n. 28, p. 5-23, 2005. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbedu/n28/a02n28.pdf Acesso em: 26 de jun. de 2020.

RAVITCH, Diane. Vida e morte do grande sistema escolar americano: como os testes padronizados e o modelo de mercado ameaçam a educação. Porto Alegre: Sulina, 2011.

RICHTER, Leonice Matilde. Trabalho docente, políticas de avaliação em larga escala e accountability no Brasil e em Portugal. 2015. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2015.

SORDI, Mara Regina Lemes; FREITAS, Luiz Carlos de. Responsabilização participativa. Revista Retratos da Escola, Brasília, v.7, n.12, p.87-99, jan./jun. 2013. Disponível em: file:///C:/Users/Desktop/Downloads/263-1022-1-PB.pdf Acesso em: 19/05/2020.

SOUSA, Sandra Zákia; OLIVEIRA, Romualdo Portela. Sistemas estaduais de avaliação: uso dos resultados, implicações e tendências. Cad. Pesqui. 2010, v.40, n.141, p.793-822. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-15742010000300007&script=sci_abstract&tlng=pt Acesso em: 19/05/2020.

TRAVITZKI, Rodrigo. Qual é o grau de incerteza do Ideb e por que isso importa? Revista Ensaio: aval.pol.públ.Educ. RJ, v.28, n.107, p.500-520, jun. 2020. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40362020000200500&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 10/02/2020.




DOI: https://doi.org/10.21573/vol37n12021.105962

INDEXADORES

BBE – Bibliografia Brasileira de Educação (Brasília, MEC/INEP)
CLASE – Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (México, UNAM)
DIADORIM - Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras
DOAJ - Directory of Open Access Journals
DRJI - Directory of Research Journals Indexing (Maharashtra, India)
Edubase (SBU/UNICAMP)
LATINDEX - Sistema Regional de Información em Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal
Portal de Periódicos da Capes/MEC
Scielo Educ@ - Fundação Carlos Chagas-FCC, São Paulo/Brasil
Science Library Index - Meadow Springs, Mandurah State, Austrália
SUMÁRIOS.ORG - Sumários de Revistas Brasileiras

 

Licença Creative Commons
Revista Brasileira de Política e Administração da Educação,
da Associação Brasileira de Política e Administração da Educação
está licenciada com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://seer.ufrgs.br/index.php/rbpae/index

ISSN versão impressa: 1678-166X
ISSN versão eletrônica: 2447-4193

Prefixo DOI: 10.21573