Gestão democrática escolar à luz das ideias de Michel de Certeau

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21573/vol37n12021.104089

Palavras-chave:

Gestão democrática, Escola pública, Cotidiano.

Resumo

Este artigo analisa como se materializa a gestão democrática no cotidiano de duas escolas públicas estaduais na cidade de Frutuoso Gomes-RN, à luz do aporte teórico de Michel de Certeau (2014). Pauta-se na abordagem qualitativa, com a utilização de observações diretas e registros no diário de pesquisa, conforme orienta Barbosa (2010). As práticas cotidianas revelam a verticalidade das relações e pouca participação nas deliberações tomadas nas escolas. Os embates nos processos de participação e decisão coletiva parecem assustar os sujeitos que praticam e articulam a gestão escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Benedito José de Queiroz, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Mestre em Educação pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), Pós Graduado em Gestão escolar (UFRN), Graduado em Pedagogia (UFPB). Professor Efetivo no Ensino Médio da Escola Estadual Ivonete Carlos, da Rede  Estadual de Ensino do Rio Grande do Norte. Atuou como Gestor Escolar da referida escola, no período de 2008 a 2011. ORCID: 0000-0003-3890-1309.>

Arilene Maria Soares de Medeiros, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Doutora em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), professora e pesquisadora da Faculdade de Educação, da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, atuando no ensino da graduação (Curso de Pedagogia) e da pós-graduação stricto sensu (Mestrado em Educação). Coordenou o Programa de Pós-Graduação em Educação no período de 2011 a 2014. ORCID: 0000-0002-8151-4382.

Referências

ALVES, Nilda. Decifrando o pergaminho: o cotidiano das escolas nas lógicas das redes cotidianas. In: OLIVEIRA, Inês Barbosa; ALVES, Nilda (org.). Pesquisa no/do cotidiano das escolas: sobre redes de saberes. Rio de Janeiro: DP& A, 2001. p. 13-38.

ATLAS DO DESENVOLVIMENTO HUMANO NO BRASIL. Disponível em: http://www.atlasbrasil.org.br/2013/pt/perfil_m/frutuoso-gomes_rn. Acesso em: 16 maio 2015.

BARBOSA, Joaquim Gonçalves; HESS, Remi. O diário de Pesquisa: o estudante universitário e seu processo formativo. Brasília: Liberlivro, 2010.

BASTOS, João Baptista. Gestão democrática da educação: as práticas administrativas compartilhadas. In: BASTOS, João Baptista (org.). Gestão democrática. 2. ed. Rio de Janeiro: DP&A/SEPE, 2001. p. 7-30.

BASTOS, João Baptista. Gestão democrática e pensamento liminar. In: FREIRE, Wendel. Gestão democrática: reflexões e práticas do/no cotidiano escolar. Rio de Janeiro: Wak, 2009. p. 143-162.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, Subsecretaria de Edições Técnicas, 2004.

BRASIL. Lei n. 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. LDB: Diretrizes e Bases da Educação Nacional. 2. ed. Brasília, DF: Câmara dos Deputados, Coordenação de Publicações, 2001.

CERTEAU, Michel. A invenção do cotidiano: artes de fazer. Tradução de Ephaim Ferreira Alves. 22. ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

FERRAÇO, Carlos Eduardo. Ensaio de uma metodologia efêmera, ou sobre as várias maneiras de sentir e inventar o cotidiano escolar. In: OLIVEIRA, Inês Barbosa; ALVES, Nilda (org.). Pesquisa no/do cotidiano das escolas: sobre redes de saberes. Rio de Janeiro: DP&A, 2001. p. 91-107.

FERRAÇO, Carlos Eduardo. Pesquisa com o cotidiano. Educação e Sociedade, São Paulo, v. 28, n. 98, p. 73-95, jan./abr. 2007.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo 2010: Atlas Digital Brasil. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/. Acesso em: 16 maio 2015.

LÜCK, Heloisa. A gestão participativa na escola. Petrópolis: Vozes, 2011. v. III.

MAIA, Benjamin Perez; COSTA, Margarete Terezinha. Os desafios e as superações na construção coletiva do projeto político-pedagógico. Curitiba: InterSaberes, 2013.

MEDEIROS, Arilene Maria Soares. Administração educacional e racionalidade: o desafio pedagógico. Ijuí: Unijuí, 2007.

OLIVEIRA, Inês Barbosa. Certeau e as artes de fazer: as noções de uso, tática e trajetórias na pesquisa em educação. In: OLIVEIRA, Inês Barbosa; ALVES, Nilda (org.). Pesquisa no/do cotidiano das escolas: sobre redes de saberes. Rio de Janeiro: DP&A, 2001. p. 39-54.

OLIVEIRA, Inês Barbosa (org.). A democracia no cotidiano da escola. 3. ed. Rio de Janeiro: DP&A/SEPE, 2005.

PARO, Vitor Henrique. Gestão democrática da escola pública. 3. ed. São Paulo: Ática, 2000.

PARO, Vitor Henrique. Gestão escolar, democracia e qualidade do ensino. São Paulo: Ática, 2007.

RIBEIRO, Mayra Rodrigues Fernandes. A sala de aula no contexto da cibercultura: formação docente e discente em atos de currículo. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2015

SANTOS, Boaventura de Sousa. Renovar a teoria crítica e reinventar a emancipação social. Tradução de Mouzar Benedito. São Paulo: Boitempo, 2007.

Downloads

Publicado

2021-04-30

Como Citar

Queiroz, B. J. de, & Medeiros, A. M. S. de. (2021). Gestão democrática escolar à luz das ideias de Michel de Certeau. Revista Brasileira De Política E Administração Da Educação, 37(1), 225–242. https://doi.org/10.21573/vol37n12021.104089