Quando Camponeses Entram em Cena: trabalho teatral do MST e a interface com a linguagem audiovisual

Rafael Litvin Villas Bôas, Felipe Canova

Resumo


Neste artigo é analisada a presença dos camponeses no teatro brasileiro, em perspectiva histórica desde os anos pré-golpe de 1964 até o período recente, no qual as conexões foram estabelecidas entre movimentos sociais como o MST e coletivos de teatro político e vídeo popular. São objeto de análise do trabalho as relações do MST com esses coletivos e os lugares que a linguagem teatral passou a ocupar no MST, bem como as influências de diversas formas teatrais e a relação dessa linguagem com o audiovisual. A pesquisa procura destacar que a relação mediada pela socialização dos meios de produção artísticos é capaz de recolocar os termos do debate entre tema e forma: se a terra pode ser de todos, a arte também é um elemento inerente à condição humana, e não apenas relegado aos que se especializaram no ofício.

Palavras-chave


Teatro Político; Teatro do Oprimido; Vídeo Popular; Questão Agrária; Campesinato

Texto completo:

ACESSO / ACCESS / ACCÈS

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


REVISTA BRASILEIRA DE ESTUDOS DA PRESENÇA - Brazilian Journal on Presence Studies - e-ISSN 2237-2660 - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Brasil - http://www.seer.ufrgs.br/presenca

 

       

 

 

Crossref Similarity Check logo

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.