Sobre lampejos em tempos de chumbo, ou, por uma comunidade de vaga-lumes, ou, o que pode a arte?

Antonio Carlos Sobrinho

Resumo


Esta não é uma escrita que procura falar sobre textos artísticos em específico, no sentido de interpretá-los. Ao invés disso, ela se deixa atravessar por aquilo que, na arte, é força de. Ou, força para. Noutras palavras, deseja o estar com, ou melhor, o ser com. Trata-se de recolher abraços de artistas diversxs, de épocas distintas e de linguagens várias, não como uma energia apaziguadora, mas como aumento da potência de agir. Abraços vaga-lumes. Neste caminho, intenta-se uma reflexão sobre como a arte pode ser força para a não capitulação dos sujeitos, ainda que inseridos em contextos (macro e micro) políticos em que quase tudo ganha a cor e o peso do chumbo. Assim como o Brasil de 2019.

Palavras-chave: Vaga-lumes. Arte. Resistência.


Texto completo:

PDF

Referências


AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo? In: ______. O que é o contemporâneo? e outros ensaios. Tradução de Vinícius Nicastro Honesko. Chapecó: Argos, 2009.

AMADO, Jorge. O sumiço da santa. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

ANDRADE, Carlos Drummond de. A noite dissolve os homens (1940). In: ______. Sentimento do mundo. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

APPADURAI, Arjun. O medo ao pequeno número. In: ______. O medo ao pequeno número: ensaio sobre a geografia da raiva. Tradução de Ana Goldberger. São Paulo: Iluminuras/Itaú Cultural, 2009.

BELCHIOR. Como nossos pais. In: ______. Alucinação. São Paulo: Polygram, 1976. 1LP (37min:25seg). Faixa A3 (4min:41seg).

BENEDETTI, Mario. Por que cantamos (1979). In: ______. Antologia poética. Tradução de Julio Luis Gehlen. Rio de Janeiro: Record, 1988.

BENJAMIN, Walter. Sobre o conceito da história (1940). In: ¬¬¬¬¬¬. Obras escolhidas. Volume 1. Magia e técnica, arte e política. Ensaios sobre literatura e história da cultura. Tradução de Sérgio Paulo Rouanet. 8.ed. São Paulo: Brasiliense, 2012.

BOSCO, João e BLANC, Aldir. O bêbado e a equilibrista. In: BOSCO, João. Linha de passe. São Paulo: RCA, 1979. 1LP (33min:43seg). Faixa B1 (3min:22seg).

CHAUÍ, Marilena. Brasil: mito fundador e sociedade autoritária (2000). São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2010.

DELEUZE, Gilles. A literatura e a vida. In: ______. Crítica e clínica. 2.ed. Tradução de Peter Pál Pelbart. São Paulo: 34, 2011.

DELEUZE, Gilles e GUATTARI, Felix. Kafka: para uma literatura menor. Tradução de Rafael Godinho. Lisboa: Assírio & Alvim, 2003.

DELEUZE, Gilles e PARNET, Claire. Diálogos. Tradução de Eloísa Araújo Ribeiro. São Paulo: Escuta, 1998.

DERRIDA, Jacques. Essa estranha instituição chamada literatura. Uma entrevista com Jacques Derrida. Tradução de Marileide Dias Esqueda. Belo Horizonte: UFMG, 2018.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Levantes. Tradução de Edgard de Assis Carvalho et alli. São Paulo: SESC, 2017.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Luz contra luz. Tradução de Vanessa Brito. Lisboa: KKYM, 2015.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Quando as imagens tocam o real. Pós, Belo Horizontes, v. 2, n. 4, p. 204-209, nov. 2012.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Sobrevivência dos vaga-lumes. Tradução de Vera Casa Nova e Márcia Arbex. Belo Horizonte: UFMG, 2012.

ESTAÇÃO Primeira de Mangueira. História para ninar gente grande. Desfile, Rio de Janeiro, 2019.

GONZAGUINHA. Pequena Memória para um tempo sem memória. In: ______. De volta ao começo. São Paulo: EMI Odeon, 1980. 1LP (44min:57seg). Faixa B2 (5min:06seg).

GUATTARI, Felix. Revolução molecular: pulsações políticas do desejo (1981). 3.ed. Tradução de Suely Rolnik. São Paulo: Brasiliense, 1985.

HOLANDA, Chico Buarque e GIL, Gilberto. Cálice. In: HOLANDA, Chico Buarque. Chico Buarque. Rio de Janeiro: Polygram/Philips, 1978. 1LP (32min:52seg). Faixa A2 (4min).

HOLANDA, Chico Buarque. Apesar de você. In: HOLANDA, Chico Buarque. Chico Buarque. Rio de Janeiro: Polygram/Philips, 1978. 1LP (32min:52seg). Faixa B6 (3min:54seg).

KLINGER, Diana. Literatura e ética: da forma para a força. Rio de Janeiro: Rocco, 2014. (Entrecríticas).

LINS, Ivan e MARTINS, Vitor. Aos nossos filhos. In: LINS, Ivan. Nos dias de hoje. São Paulo: EMI, 1978. 1LP (34min:37seg). Faixa B5 (3min:15seg).

LISPECTOR, Clarice. Mineirinho (1962). In: ______. Todos os contos. Rio de Janeiro: Rocco, 2016.

MEIRELES, Cildo. Inserções em Circuitos Ideológicos - 2. Projeto Coca-Cola (1971). In: Enciclopédia Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: . Acesso em: 14 de Abr. 2019. Verbete da Enciclopédia.

MELLO, Thiago de. Os Estatutos do Homem (Ato Institucional Permanente) (1964). In: ______. Faz escuro, mas eu canto. 5.ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

PAPE, Lygia. Língua apunhalada (1968). Projeto Lygia Pape. Disponível em: http://www.lygiapape.org.br/pt/obra60.php?i=11. Acesso em: 13 abr. 2019.

PARENTE, Letícia. Marca Registrada, 1975. Vídeo (10min:33seg). Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=J5RakZ433wA. Acesso em: 13 abr. 2019.

PLATÃO. República. Tradução de Enrico Corvisieri. Rio de Janeiro: Best Seller, 2002.

ROLNIK, Suely. O inconsciente colonial-capitalístico. In: ______. Esferas da insurreição. Notas para uma vida não cafetinada. São Paulo: n-1, 2018.

SANT’ANNA, Affonso Romano de (1980). Que país é este? In: ______. Que país é este? Rio de Janeiro: Rocco, 1990.

SANTIAGO, Silviano. Uma revoada de vagalumes. Revista Brasileira de Literatura Comparada, Niterói, v. 19, n. 32, p. 58-61, 2017.

SEIXAS, Raul. Mosca na sopa. In: SEIXAS, Raul. Krig-Ha, Bandolo! São Paulo: Philips Records, 1973. 1LP (29min:02seg). Faixa A2 (3min:58seg).

SONTAG, Susan. Contra a interpretação. In: ______. Contra a interpretação. Tradução de Ana Maria Capovilla. Porto Alegre: L&PM, 1987.

TAPAJÓS, Maurício e PINHEIRO, Paulo César. Pesadelo. In: MPB-4. Cicatrizes. São Paulo: Philips, 1972. 1LP (38min:16seg). Faixa B2 (3min:23seg).

TELLES, Lygia Fagundes. As meninas. 16.ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.

VANDRÉ, Geraldo. Porta-estandarte (1966). In: ______. Geraldo Vandré. Rio de Janeiro: Som Maior, 1979. 1LP (44mim:25seg). Faixa A2 (2min:12seg).

VELOSO, Caetano. É proibido proibir. Intérpretes: Caetano Veloso e os Mutantes. 1968. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=4xEz2uva_ZE. Acesso em: 14 abr. 2019.

VELOSO, Caetano. Força Estranha. In: CARLOS, Roberto. Roberto Carlos. São Paulo: Columbia Records, 1978. 1LP (41 min). Faixa B4 (3min:49seg).




DOI: https://doi.org/10.22456/2596-0911.91895

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

 

ISSN 2596-0911

 

Contato: revistaphilia@ufrgs.br

 

Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Avenida Paulo Gama, 110

Bairro Farroupilha, Porto Alegre, RS

CEP 90040-060

 

INDEXADORES | INDEXING