Resenha de 'Carta a Diogneto'

Felipe Gustavo Soares da Silva, Vinycius Bezerra Ferreira Cavalcanti Mattoso, Jannyelle Vitória Cabral

Resumo


O manuscrito original é de língua grega e sua tradução para o português é realizada por Ivo Storniolo e Euclides M. Balancin, sendo publicada pela editora Paulus numa coleção chamada Patrística, em referência aos textos produzidos no período inicial da Filosofia Cristã, escritos pelos chamados “padres da Igreja”, que prepararam a Filosofia Medieval. Apesar da inserção na coleção de textos da editora, a Carta a Diogneto não é claramente um texto produzido por um dos tais padres patrísticos, todavia, levando em consideração o caráter instrutivo e apologético da carta, o conteúdo demonstra certas aproximações. O autor da carta é incerto, mas estima-se que sejam verdadeiramente alguns sábios dos primeiros séculos do cristianismo. Apesar da antiguidade, a carta só veio a ser encontrada em 1436 por Tomás de Arezzo, em Constantinopla.


Texto completo:

PDF

Referências


APOLOGISTAS, PADRES. Carta a Diogneto. São Paulo: Paulus, 1997.




DOI: https://doi.org/10.22456/2596-0911.87092

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

 

ISSN 2596-0911

 

Contato: revistaphilia@ufrgs.br

 

Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Avenida Paulo Gama, 110

Bairro Farroupilha, Porto Alegre, RS

CEP 90040-060

 

INDEXADORES | INDEXING