Experiências de uma Riot Grrrl: Kathleen Hanna, feminismo, DIY e cultura remix

Gabriela Cleveston Gelain, Milene Migliano, Pedro de Assis Pereira Scudeller

Resumo


Por meio dos fragmentos de narrativas da trajetória da musicista e ativista Kathleen Hanna, pioneira do movimento Riot Grrrl, remontamos, a partir do documentário The Punk Singer, a terceira onda do movimento feminista, evidenciando a interseccionalidade e protagonismo juvenil. Através de fanzines, arte, colagens, letras de música, performances e formação de bandas a partir de uma filosofia punk do it yourself (DIY), salientamos a ampla contribuição de Hanna para o feminismo contemporâneo ao desafiar um cenário opressor dentro do movimento punk, estimulando o surgimento de outras iniciativas feministas, rebeldes e riot grrrls. Sua prática e performance artística são abordadas pelo viés das culturas DIY e remix, potencializando partilhas do sensível e politicidades no engajamento de subjetividades que superam a contenção dos imaginários vigentes.

Palavras-chave: Feminismo. Riot Grrrl. Kathleen Hanna. Cultura remix. Imaginário político.

 

Abstract

Through fragments of narratives gathered from the documentary The Punk Singer, based on the life and career of musician and activist Kathleen Hanna, pioneer of the Riot Grrrl movement, we refer to the third wave of the feminist movement, by demonstrating the dimensions of intersectionality and youth protagonism within her work. Ranging from fanzines, art, collages and lyric-making to performance and music groups based on a punk "do it yourself" (DIY) philosophy, we highlight Hanna's broad contribution to contemporary feminism by challenging an oppressive scenario within the punk movement, and by stimulating the emergence of other feminist, rebel and riot grrrls initiatives. Her artistic practice and performance are analyzed through the bias of DIY and remix cultures, thus potentializing distributions of the sensible and politicities in the engagement of subjectivities that surpass the containment of current imaginaries.

Keywords: Feminism. Riot Grrrl. Kathleen Hanna. Remix culture. Political imaginary.


Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, Theodor W.; HORKHEIMER, Max. A indústria cultural: o iluminismo como mistificação das massas. Tradução: Carlos Nelson Coutinho. In: LIMA, Luiz Costa (Org.). Teoria da cultura de massa. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

ANDERSEN, Mark; JENKINS, Mark. Dance of Days: duas décadas de punk na capital dos EUA. São Paulo: Edições Ideal, 2015.

AMARAL, Adriana; BARBOSA, Camila; POLIVANOV, Beatriz. Subcultura, re(a)presentação e auto ironia em sites de rede social: o caso da fanpage “gótica desanimada” no Facebook. Revista Lumina: Revista do Programa de Pós-Graduação da UFJF, v. 9, n. 2, p. 01-18. dez. 2015.

BATISTA, Beatriz Beraldo. Por saias a causas justas: feminismo, comunicação e consumo na Marcha das Vadias. 2014. Dissertação (Mestrado em Comunicação) - Associação Escola Superior de Propaganda e Marketing, São Paulo, 2014.

BELZER, Hillary. Words + Guitar: the riot grrrl movement and third-wave feminism. 2004. 116 p. Thesis (Master of Arts in Communication) - Graduate School of Arts and Sciences of Georgetown, Washington DC, 2004.

BENJAMIN, Walter. Obras Escolhidas: Magia e técnica, arte e política. São Paulo: Brasiliense, 1996. v. 1.

BIKINI KILL. I like Fucking. [S. l.: s. n.], 2008. 1 vídeo. Publicado pelo canal SuEcideSally. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=kwh7iilWrp0. Acesso em: 05 maio 2020.

BURGESS, Jean. Vernacular creativity and new media. 2007, 297 p. Thesis (PhD) - Faculty of Creative Industries, Queensland University of Technology, Brisbane, 2007.

BROCKES, Emma. What Happens when a riot grrrls grows up? The Guardian, Londres, maio 2014. Disponível em: http://www.theguardian.com/music/2014/may/09/kathleen-hanna-the-julie-ruin-bikini-kill-interview. Acesso em: 07 maio 2020.

CRENSHAW, Kimberlé Williams. Mapping the Margins: Intersectionality, identity politics, and violence against women of color. Stanford Law Review, Stanford, v. 43, n. 6, p. 1241-1299. 1991.

DAVIS, Angela. Classe e Raça no início da campanha pelos direitos das mulheres. In: DAVIS, Angela. Mulheres, raça e classe. Tradução: Heci Regina Candiani. 1. ed. São Paulo: Boitempo, 2016.

GAGO, Veronica. A potência feminista ou o desejo de transformar tudo. São Paulo: Editora Elefante, 2020.

GORDON, Kim. A garota da banda: uma autobiografia. Rio de Janeiro: Fábrica231, 2015.

HANNA, Kathleen. My Life with Evan Dando: popstar. [S. l.: s. n.], 1993.

HANRA, Hanna. Kathleen Hanna: ‘I'm a punk rock stripper with sexual abuse counsellor training’, The Guardian, Londres, jul. 2016. Disponível em: https://www.theguardian.com/lifeandstyle/2016/jul/02/kathleen-hanna-im-a-punk-rock-stripper-with-sexual-abuse-counsellor-training. Acesso em: 05 maio 2020.

hooks, bell. Madonna: amante da casa-grande ou irmã de alma. In: hooks, bell. Olhares negros: raça e representação. Tradução: Stephanie Borges. São Paulo: Elefante, 2019.

KANAI, Akane. DIY Culture. In: NAVAS, Eduardo, GALLAGHER, Owen; burrough, xtine (ed.). Keywords in Remix Studies. Nova York/Londres: Routledge, 2017.

GELAIN, Gabriela Cleveston. Releituras, transições e dissidências da Subcultura Feminista Riot Grrrl no Brasil. 2017. Dissertação (Mestrado em Ciências da Comunicação), Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2017.

GELAIN, Gabriela Cleveston; CARLOS, Giovana Santana. Fanzine e subcultura punk: produção, consumo e identidade na cena brasileira. Revista Vozes & Diálogo, v. 17, p. 74-87, 2018a. Disponível em: https://siaiap32.univali.br/seer/index.php/vd/article/view/11703. Acesso em: 27 set. 2020.

GELAIN, Gabriela; LAGE, Rafael. Herstory, a história dela: Kathleen Hanna e o início do movimento Riot Grrrl. In: Simpósio Internacional de Gênero, Arte e Memória - V SIGAM, 2016, Pelotas. Anais [...], Pelotas, Editora Universitária UFPel, 2016. Disponível em: https://tinyurl.com/kathanna. Acesso em: 27 set. 2020.

GUERRA, Paula; BITTENCOURT, Luiza; GELAIN, Gabriela Cleveston. Punk Fairytale: Popular Music,Media, and the (Re) production of Gender. Advances in Gender Research, v. 1, p. 1, 2018. Disponível em: https://www.emeraldinsight.com/doi/abs/10.1108/S1529-212620180000026005. Acesso em: 27 set. 2020.

LEITE, Flávia. Riot Grrrl: capturas e metamorfoses de uma máquina de guerra. 2015. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2015.

LESSIG, Lawrence. Remix: Making art and commerce thrive in the hybrid economy. Londres: Bloomsbury Publishing PLC, 2008.

LORDE, Audre. A poesia não é um luxo. In: LORDE, Audre. Irmã outsider. Tradução: Stephanie Borges. Belo Horizonte: Autêntica, 2019.

MIGLIANO, Milene. Entre a praça e a internet: outros imaginários políticos possíveis na Praça da Estação. Cruz das Almas: Editora UFRB, 2020.

NAVAS, Eduardo. Remix Defined. Remix Theory, 2007. Disponível em: https://remixtheory.net/?page_id=3. Acesso em: 07 maio 2020

NAVAS, Eduardo. Remix Theory: the aesthetics of sampling. Viena/Nova York: Springer, 2012.

PRECIADO, Paul Beatriz. Manifesto contrassexual. Tradução: Maria Paula Gurgel Ribeiro. São Paulo, n-1 edições, 2014.

PITCHFORK. The Julie Ruin Perform "Apt. #5" + 1. [S. l.: s. n.], 2013. 1 vídeo. Publicado pelo canal Pitchfork. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=3xsqFIWHdoM. Acesso em: 07 maio 2020.

RANCIÈRE, Jacques. A Partilha do sensível. Tradução: Monica Costa Netto. 2. Ed. São Paulo: Editora 34, 2009.

RIBEIRO, Ana Clara Torres. Nós temos hoje uma espécie de contenção do imaginário político. [Entrevista cedida a] Milene Migliano. Revista Marimbondo, São Paulo, v. 1, 2011. Disponível em: http://revistamarimbondo.com.br/artigo/25. Acesso em: 06 jun. 2020.

RIOT GRRRL MANIFESTO. History is a weapon. Disponível em: https://www.historyisaweapon.com/defcon1/riotgrrrlmanifesto.html. Acesso em: 05 maio 2020.

ROCHA, Rose de Melo. Corpos significantes na metrópole discursiva: ensaio sobre fetichismo visual e ativismo juvenil. Significação, São Paulo, ano 39, n. 37, p. 126-146, 2012.

ROCHA, Rose de Melo; GOLOBOVANTE, Maria da Conceição; PEREIRA, Simone Luci. Comunicação e engajamentos ético-estéticos: dois olhares e uma escuta. In: XXXIV Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – INTERCOM, 2011, Recife. Anais eletrônicos [...]. São Paulo: Intercom, 2011. Disponível em: http://www.intercom.org.br/papers/nacionais/2011/resumos/R6-2691-1.pdf. Acesso em: 05 maio 2020.

SILVEIRA, Fabricio. The punk embodiment: Madonna + riot grrrls + Genesis P-Orridge. In: SÁ, Simone Pereira; CARREIRO, Rodrigo; FERRARAZ, Rogério (org.). Cultura Pop: Livro Compós 2015. Salvador: EDUFBA, 2015. Disponível em: http://www.compos.org.br/data/Cultura_pop_repositorio.pdf. Acesso em: 15 abr. 2020.

SCUDELLER, Pedro de Assis Pereira. Remix e Politicidade: Arte, Política e a Cultura Remix. In: XLI Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação - INTERCOM, 2018, Joinville. Anais eletrônicos [...]. São Paulo: Intercom, 2018. Disponível em: http://portalintercom.org.br/anais/nacional2018/resumos/R13-1876-1.pdf. Acesso em: 27 abr. 2020.

SCUDELLER, Pedro de Assis Pereira. Curadoria Remix: reflexões sobre circulação e consumo de arte na 33a Bienal de São Paulo. 2020, 213 p. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Práticas de Consumo) - Escola Superior de Propaganda e Marketing, São Paulo, 2020.

SHUKER, Roy. Vocabulário de música pop. São Paulo: Hedra, 1999.

THE JULIE RUIN. The Julie Ruin - Ha Ha Ha (Official Lyric Video). [S. l.: s. n.], 2013. Publicado pelo canal The Julie Ruin. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=S8D_nAuDbTA. Acesso em: 05 maio 2020.

THE JULIE RUIN. The Julie Ruin - Girls Like Us (Official Lyric Video). [S. l.: s. n.], 2013. Publicado pelo canal The Julie Ruin. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=5wmL97Ape7o. Acesso em: 07 maio 2020.

THE JULIE RUIN.The Julie Ruin - Kids in NY (Official Lyric Video). [S. l.: s. n.], 2013. Publicado pelo canal The Julie Ruin. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=u2BeqHGSVxI. Acesso em: 07 maio 2020.

THE PUNK SINGER. Direção: Sini Anderson. Estados Unidos: Sundance Sleects, 2013. 1 filme (80min). Publicado pelo canal Bruna Mezini. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=DdTHg4SQNGE. Acesso em: 06 maio 2020.




DOI: https://doi.org/10.22456/2596-0911.104017

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

 

ISSN 2596-0911

 

Contato: revistaphilia@ufrgs.br

 

Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Avenida Paulo Gama, 110

Bairro Farroupilha, Porto Alegre, RS

CEP 90040-060

 

INDEXADORES | INDEXING