Relações técnicas e estéticas entre os cinemas do pós-Segunda Guerra e o cinema digital com base no filme Timecode

Autores

DOI:

https://doi.org/10.19132/1807-8583202152.99843

Palavras-chave:

Cinema, Cinema digital, Hipermídia, Múltiplas telas, Timecode

Resumo

As relações técnicas e estéticas entre o cinema moderno, cujas correntes tomaram impulso no período pós-Segunda Guerra, e o cinema digital, produzido a partir da segunda metade dos anos 1990, é o tema deste artigo. Objetiva-se identificar as características do filme Timecode (2000) e relacioná-las, por uma linha evolutiva, com aproximações e distanciamentos, às principais correntes do cinema moderno – experimental, direto e disnarrativo. Paralelamente, abordamos as especificidades da hipermídia e do cinema digital contemporâneos. Entre os resultados, destaca-se que o cinema digital dos anos 1990 foi um desdobramento das inovações trazidas pelo cinema moderno.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Paulo de Carvalho dos Reis e Cunha, Universidade de Sorocaba (Uniso)

Graduado em Cinema pela Fundação Armando Álvares Penteado (Faap). Graduado em Publicidade e Propaganda pela Universidade de Sorocaba (Uniso). Pós-graduação lato sensu (especialização) em Design Gráfico pelo Centro Universitário Senac. Mestrando em Comunicação e Cultura pela Universidade de Sorocaba (Uniso).

Maria Ogécia Drigo, Universidade de Sorocaba (Uniso)

Doutora em Comunciação e Semiótica pela PUC/SP e pós-doutora pela ECA/USP. Docente do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura da Universidade  de Sorocaba - Uniso - Sorocaba, SP.

Downloads

Publicado

2021-07-13

Como Citar

dos Reis e Cunha, J. P. de C., e M. O. Drigo. “Relações técnicas E estéticas Entre Os Cinemas Do pós-Segunda Guerra E O Cinema Digital Com Base No Filme Timecode”. Intexto, nº 52, julho de 2021, p. 99843, doi:10.19132/1807-8583202152.99843.

Edição

Seção

Artigos