Comunicação e Semiótica: zonas de convergência e desafios partilhados nos estudos de Eliseo Verón sobre a construção social do sentido

Claudiane Carvalho

Resumo


Este artigo propõe apresentar, numa dimensão descritivo-analítica, a interlocução entre Comunicação e Semiótica, pelo viés da teoria da discursividade social de Eliseo Verón. Ao tratar o discurso como materialidade espaço-temporal do sentido, Verón propôs um aporte teórico-metodológico para o estudo dos produtos mediáticos a partir das perspectivas do signo em Charles Sanders Peirce e do conceito de enunciação. O texto indica, via estudo bibliográfico, que a Teoria dos Discursos Sociais abarca a investigação dos efeitos de sentido nas enunciações mediáticas, superando as abordagens mecanicistas. Aponta, por fim, que, numa visada veroniana, Comunicação e Semiótica partilham uma zona de interseção constituída pelas preocupações com a produção social de sentido e a construção da realidade. Nesse âmbito, as modalidades de circulação da atual sociedade mediatizada desenham perspectivas e desafios à interface entre ambas.


Palavras-chave


Comunicação; Semiótica; Discurso Social; Signo; Enunciação

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19132/1807-8583202152.98958



 

Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

 

 Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

 Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)