Dos efeitos de real a uma política do ócio em Abbas Kiarostami

Autores

  • Demétrio Rocha Pereira Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Felipe Diniz UniRitter
  • Lennon Macedo Universidade Federal do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.19132/1807-8583202048.65-83

Palavras-chave:

Abbas Kiarostami. Efeito de real. Ingenuidade. Ócio. Semiótica do cinema.

Resumo

Abbas Kiarostami aplica em seus filmes e escritos certa técnica de produção de real a partir da observação de pequenos detalhes em contínuo movimento. Este artigo investiga como o cineasta elabora o ócio enquanto dispositivo para instalar no espectador um efeito de real. Esse mesmo procedimento de estudo do supérfluo e do ínfimo se codifica diferentemente quando subordinado às causalidades narrativas, resultando numa semiótica da ingenuidade. Com o suporte dos estudos de André Bazin, Christian Metz, Roland Barthes e Jacques Rancière, traçamos um caminho que apresenta personagens humanos e não humanos como vetores obstinados de uma política do ócio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Demétrio Rocha Pereira, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutorando e Mestre em Comunicação e Informação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Estuda a teoria da comunicação à luz das filosofias do processo e da semiótica, com foco no contágio comunicacional e na coesão sígnica dos coletivos. Entre os temas de pesquisa estão a afetividade da música e as tecnologias imersivas. Integrante do grupo de pesquisa registrado no CNPq GPESC (Grupo de Pesquisa Semiótica e Comunicação). Graduado em Jornalismo pela UFRGS, atuou como repórter no jornal Zero Hora e no portal de notícias Terra.

Felipe Diniz, UniRitter

Doutor em Comunicação e Informação pela UFRGS, professor do curso de Produção Audiovisual da Faculdade de Comunicação Social da Uniritter.

Lennon Macedo, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Mestrando no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e Bacharel em Jornalismo pela mesma instituição. Participa do Grupo de Pesquisa Semiótica e Culturas da Comunicação (GPESC).

Downloads

Publicado

2020-01-01

Como Citar

Rocha Pereira, D., F. Diniz, e L. Macedo. “Dos Efeitos De Real a Uma política Do ócio Em Abbas Kiarostami”. Intexto, nº 48, janeiro de 2020, p. 65-83, doi:10.19132/1807-8583202048.65-83.

Edição

Seção

Dossiê Teoria dos cineastas