Antifilosofia: Jean Epstein e realismo especulativo

Autores

  • Julio Bezerra Universidade Federal do Mato Grosso do Sul

DOI:

https://doi.org/10.19132/1807-8583202048.229-245

Palavras-chave:

Jean Epstein. Realismo especulativo. Antifilosofia. Teoria dos cineastas. A. N. Whitehead.

Resumo

Este artigo tem como objetivo propor um diálogo entre o cinema e a teoria de Jean Epstein e o realismo especulativo. A interação de forças subjetivas e objetivas no cinema é um campo atraente de investigação para um realista especulativo, e a convicção epsteiniana de que o cinema nos abre para novos domínios do conhecimento do mundo está absolutamente sintonizada com esse movimento filosófico. Ao longo desse diálogo, esboçamos um modo diverso de pensar sobre o cinema: uma “antifilosofia”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Julio Bezerra, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul

Professor do curso de Audiovisual da UFMS. Doutor pela UFF e mestre pela UFRJ. Realizou pesquisa de pós-doutorado na ECO-UFRJ e fez estágio pós-doutoral na Columbia University. Autor do livro Documentário e jornalismo: Propostas para uma cartografia plural. Jornalista e crítico de cinema, colaborou com uma ampla gama de publicações. Curador das retrospectivas de Abel Ferrara, Samuel Fuller e Jean Renoir. Dirigiu os curtas E agora? (2014) e Pontos corridos (2017).

Downloads

Publicado

2020-01-01

Como Citar

Bezerra, J. “Antifilosofia: Jean Epstein E Realismo Especulativo”. Intexto, nº 48, janeiro de 2020, p. 229-45, doi:10.19132/1807-8583202048.229-245.

Edição

Seção

Dossiê Teoria dos cineastas