Poiesis e imaginação na experiência estética: o momento da graça no jogo de computador

Autores

  • Dominic Arsenault Universidade de Montreal
  • Maude Bonenfant Universidade do Quebec

DOI:

https://doi.org/10.19132/1807-8583201946.215-227

Palavras-chave:

Estética. Games. Poiese.

Resumo

Qual é a natureza da experiência de um jogador de videogames? Ter uma experiência de um jogo de computador é ter uma experiência funcional, adaptada à sua função como jogo de computador. Essa função é definida pela soma das propriedades que produzem o significado de uma experiência de jogo de computador, distinta das outras experiências da existência humana: o jogador atribui esse significado particular à sua experiência em vez de outro. As propriedades dessa experiência podem ser divididas entre suas muitas dimensões, como técnica (têkhné), ética (ethos), estética (aisthêtikos), etc., e  são responsáveis pela riqueza e complexidade da experiência humana. Essas dimensões não podem ser visualizadas separadamente de seus efeitos combinados e funcionam como um todo inseparável que define o sentido da vida. No entanto, para as necessidades da nossa demonstração, vamos nos concentrar em um estudo da dimensão estética da experiência do jogador de games para mostrar como ele se desdobra, independente da diversidade dos jogos jogados, sejam eles Super Mario Bros. (Nintendo), Mount and Musket: Battalion (independente)  ou Trauma (Krystian Majewski).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dominic Arsenault, Universidade de Montreal

Professor Associado do Departamento de História da Arte e Estudos Cinematográficos

Maude Bonenfant, Universidade do Quebec

Professora do Departamento de Comunicação Social e Pública

Downloads

Publicado

2019-07-24

Como Citar

Arsenault, D., e M. Bonenfant. “Poiesis E imaginação Na Experiência estética: O Momento Da graça No Jogo De Computador”. Intexto, nº 46, julho de 2019, p. 215-27, doi:10.19132/1807-8583201946.215-227.