O dispositivo empresarial, a reforma trabalhista e seus embates em enunciados midiáticos

Autores

  • Alyssa Magalhães Prado Universidade Federal de Uberlândia http://orcid.org/0000-0002-1144-311X
  • João Wachelke Universidade Federal de Uberlândia
  • Kátia Menezes de Sousa Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.19132/1807-8583202152.89828

Palavras-chave:

Trabalho, Trabalhador, Dispositivo, Empresarial, Jurídico

Resumo

Este artigo tem como objetivo problematizar o dispositivo empresarial e seus embates, por meio da análise de enunciados e práticas discursivas veiculadas em jornais brasileiros sobre a reforma trabalhista de 2017. O trabalho se norteou pela questão quanto ao funcionamento desse dispositivo e suas reverberações subjetivas nas relações humanas. O conceito de dispositivo é pensado e utilizado por autores como Foucault, Deleuze e Agamben, para refletir sobre um conjunto de elementos heterogêneos, que envolvem ditos e não ditos, a fim de organizar os jogos saber/poder que circulam socialmente. As contribuições especialmente foucaultianas e de alguns autores que estão se debruçando em estudos sobre o contexto neoliberal deram o aporte teórico-metodológico a pesquisa. O processo de triagem do material aconteceu a partir da pesquisa por notícias sobre a reforma trabalhista, selecionando cinco que possuíam como foco principal os empresários. Sendo assim, foi exposto um material de análise contendo algumas instâncias enunciativas e pontuadas algumas interpretações, utilizando, enquanto ferramenta, a análise discursiva foucaultiana. Os enunciados revelam o lugar de protagonismo e referência destinado aos empresários. A criação de supostos embates e lutas estão claras a partir da construção de duas posições-sujeito: o dos direitos e demandas sociais e o da competitividade e mercado. Em suma, o dispositivo empresarial vai se delineando como protagonista do meio social, enfraquecendo outros dispositivos consolidados, como o jurídico, mas sem deixar de suscitar oposições e embates contrários, que podem produzir resistências e novas possibilidades de existência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alyssa Magalhães Prado, Universidade Federal de Uberlândia

Psicóloga formada pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Mestranda em Psicologia pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

João Wachelke, Universidade Federal de Uberlândia

Doutor em Psicologia Social e da Personalidade pela Università degli studi di Padova (Itália). Professor adjunto do Instituto de Psicologia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Coordenador do grupo de pesquisa Eclipse – Laboratório de Ideologia e Percepção Social – Uberlândia, MG, Brasil.

Kátia Menezes de Sousa, Universidade Federal de Goiás

Doutora em Linguística e Língua Portuguesa pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Professora associada da Universidade Federal de Goiás.

Downloads

Publicado

2021-05-24

Como Citar

Prado, A. M., J. Wachelke, e K. M. de Sousa. “O Dispositivo Empresarial, a Reforma Trabalhista E Seus Embates Em Enunciados midiáticos”. Intexto, nº 52, maio de 2021, p. 89828, doi:10.19132/1807-8583202152.89828.

Edição

Seção

Artigos