Telenovela: elementos identitários em vinheta de abertura

Jaqueline Esther Schiavoni

Resumo


Considerando que a telenovela permanece como uma das formas culturais de maior interesse por parte do público em nosso país, buscamos explicitar algumas das principais estratégias de apresentação desse tipo de produto na grade de programação. Para tanto, realizamos um levantamento histórico das novelas produzidas e transmitidas pela Rede Globo, emissora brasileira que mais investiu em dramaturgia e cujas obras possuem reconhecida qualidade de produção tanto no país como no exterior. A investigação considerou o período que vai de 1965 a 2015, utilizando como referência os títulos disponíveis no site Memória Globo. Vinhetas de abertura foram analisadas à luz da semiótica francesa, e os resultados apontaram para o reconhecimento de quatro recursos recorrentemente explorados: projeções de pessoa, tempo, espaço e procedimentos de tematização – todos articulados de forma a promover no público um sentido de identificação.

Palavras-chave


Telenovela; Vinheta; Semiótica francesa

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19132/1807-8583202152.86740



 

Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

 

 Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

 Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)