Profetas da natureza: ver e dizer no sertão

Fernanda Bruno, Karla Patrícia Holanda Martins

Resumo


O presente trabalho visa a explorar o regime de visibilidade posto em prática pelos profetas da natureza no sertão cearense. Pretende-se mostrar como esse regime de visibilidade resiste ao que vem sendo a tendência contemporânea tanto no mundo midiático quanto no mundo científico. Os dispositivos de visualização dos corpos e do mundo na tecnociência, os reality shows, webcams e câmeras de vigilância seguem o princípio de tudo ver e tudo mostrar, construindo um sentido de realidade intimamente atrelado à visibilidade. Numa outra direção, seguem os profetas da natureza que, num corpo a corpo com o mundo, lêem os signos discretos da vida sertaneja e entrevêem o que não se vê imediatamente, um diálogo que remete à dimensão invisível da visão e à dimensão política da palavra.


Palavras-chave


Regime de visibilidade. Mídia. Profecias.

Texto completo:

PDF




 

Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

 

 Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

 Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)