Biosemiótica como nova fronteira e sua aplicação na comunicação ambiental

Francisco José Paoliello Pimenta

Resumo


O objetivo desse artigo é apresentar a biossemiótica derivada do Pragmaticismo de Peirce como um desenvolvimento teórico capaz de ampliar a atual concepção do campo da Comunicação em seus propósitos práticos. Por meio da descrição de hipótese relativa à esfera da Comunicação Ambiental, aplicada em seguida a dois testes empíricos, buscamos descrever de que forma essas aproximações podem ser realizadas. Ao final, a partir dos resultados obtidos, defendemos que a biossemiótica poderá constituir uma extensão produtiva do campo na medida em que conseguir superar resistências de concepções autorrestritivas dos processos comunicacionais.

Palavras-chave


Comunicação. Epistemologia. Biosemiótica.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19132/1807-8583201637.132-151



 

Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

 

 Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

 Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)