Sobre a Opinião Pública que já não o é – ao ter deixado de ser propriamente pública e também uma opinião

João Pissarra Esteves

Resumo


O conceito sistêmico (N. Luhmann) de Opinião Pública tem como propósito assumir uma ruptura com a “velha” tradição (da modernidade) do pensamento político ocidental, em nome da complexidade crescente que caracteriza as atuais sociedades funcionalmente diferenciadas. Aqui propomos desenvolver uma discussão dos desafios que um tal conceito coloca a todos os que assumem um envolvimento mais ou menos direto com a comunicação pública, muito em especial para aqueles que o fazem na condição de profissionais desta área de atividade. São identificadas as insuficiências epistemológicas (em termos empíricos, mas também normativos) que este conceito apresenta – a Opinião Pública enquanto mera tematização de assuntos, que já não forma realmente qualquer opinião nem é motivo de uma construção propriamente pública; conferindo-se uma atenção mais especial os limites ético-morais com que esta visão inteiramente funcional das nossas sociedades – e da existência humana de um modo mais geral – se debate.

Palavras-chave


Opinião pública. Comunicação pública. Sistemas sociais. Tematização. Responsabilidade (ético-moral).

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19132/1807-8583201534.276-293



 

Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

 

 Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

 Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)