Mudanças estruturais e ensino de jornalismo: o papel do professor nos novos rumos do jornalismo brasileiro

Rafael Pereira da Silva, Boanerges Balbino Lopes

Resumo


O jornalismo contemporâneo é reconfigurado por transformações na produção e a veiculação das notícias, em paralelo, temos a integração tecnológica e a convergência midiática. Simultaneamente, temos um alargamento do campo entrelaçando atividades e competências dos profissionais. Destarte, o artigo reflete sobre os desafios e o papel dos professores e dos cursos de jornalismo neste cenário. Como metodologia, utilizamos uma revisão de literatura baseada nos estudos sobre o ethos e o habitus jornalístico sob a ótica de Traquina, Bourdieu e Cavalcanti, associada a um suporte de entrevistas realizadas entre 2011 e 2014 com dois grupos de jornalistas, um deles ligado à midia tradicional e o outro às assessorias de imprensa. Entre as considerações, destaca-se a necessidade de se pensar, ensinar e praticar jornalismo de maneira consciente, evitando-se as lacunas entre os aspectos acadêmicos e mercadológicos e estimulando o fomento à percepção evidenciada pelas múltiplas identidades do jornalista contemporâneo, envolto em habilidades e competências diversificadas.


Palavras-chave


Ensino. Jornalismo. Ethos. Habitus.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19132/1807-8583201635.137-153



 

Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

 

 Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

 Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)