O herói e o desviante: medo e euforia no noticiário policial

Leticia Cantarela Matheus, Pedro Henrique Silva

Resumo


O estudo tem por objetivo identificar a pertinência ou não da aplicação dos conceitos de pânico moral e de demônio popular (folk devil) como forma de compreender a recente adesão eufórica à política de Segurança Pública no estado do Rio de Janeiro. Com a aplicação desses conceitos, oriundos da sociologia e da criminologia, em especial de Stanley Cohen (1972), analisam-se as estruturas narrativas de duas coberturas policiais de jornais cariocas. Concluiu-se que o traficante aparece como elemento desviante enquanto os policiais são apresentados como heróis dentro de um processo de elaboração de uma euforia legitimadora da política de Segurança. O artigo faz parte de uma pesquisa em andamento que tem por principal hipótese a ideia de que os jornais incentivaram a ocorrência do fenômeno do pânico moral na cidade em 2010, quando as ocupações policiais foram intensificadas.

Palavras-chave


Jornalismo. Cobertura policial. Pânico moral. Medo. Euforia.

Texto completo:

PDF




 

Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

 

 Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

 Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)