Inversão, desnaturalização e reforço de práticas de gênero em peças publicitárias

Laura Guimarães Corrêa, André Melo Mendes

Resumo


O artigo tem como objetivo apresentar uma discussão sobre gênero e feminismo vinculada à análise de três peças publicitárias brasileiras que propõem práticas e discursos que se diferenciam das práticas e discursos tradicionais em que predomina uma abordagem machista. Os comerciais analisados promovem produtos de limpeza e divulgam o lançamento de um carro. Nessas peças, as mulheres são apresentadas como pessoas distantes do trabalho doméstico, enquanto as tarefas de casa são executadas por homens. Trata-se de mudança significativa, se consideradas as representações de gênero correntes da publicidade brasileira. Nota-se, entretanto, a manutenção de relações desiguais e hierárquicas, em que apenas o vetor é mudado, mantendo-se a tradicional configuração heteronormativa e a estrutura dicotômica de divisão valorativa do trabalho baseada no gênero.


Palavras-chave


Publicidade. Feminismo. Divisão do trabalho. Práticas de Gênero.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19132/1807-8583201532.136-155



 

Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

 

 Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

 Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)