A paixão da escrita: memória, biógrafos e biografados

Cremilda Medina

Resumo


O artigo faz uma visita ao Livro das horas, Graciliano: retrato fragmentado e a Aí vai meu coração. O objetivo é aproximar o leitor das subjetividades de Nélida Piñon, Graciliano Ramos e Tarsila do Amaral, e mapear as possibilidades do registro do afeto na memória escrita. Para isso são utilizados textos biográficos, autobiográficos e textos de troca de correspondências, além de relatos pessoais. Seguindo o projeto de exorcizar padrões esquemáticos da apresentação do pensamento, este artigo quer também resistir à limitação dos critérios de certo e errado na execução criativa da língua.


Palavras-chave


Biografia. Autobiografia. Correspondência.

Texto completo:

PDF




 

Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

 

 Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

 Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)