Os computadores também sonham? Para uma teoria da cibercultura como imaginário

Erick Felinto

Resumo


Este trabalho propõe a elaboração de uma teoria da cibercultura como imaginário tecnológico. Pretende investigar de que modo a cibercultura se constitui em visão de mundo coerente, descrevendo algumas das principais representações culturais que têm cercado as tecnologias digitais. Ao mesmo tempo, sugere a constituição de uma teoria da cibercultura fundada em três procedimentos epistemológicos: I) a análise das relações entre materialidades e imaginários tecnológicos, II) a arqueologia dos meios e III) a adoção de uma visão “culturalista”.


Palavras-chave


Cibercultura. Comunicação. Imaginário tecnológico.

Texto completo:

PDF




 

Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

 

 Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

 Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)