Paródia/carnavalização e função poética em A Invenção do Brasil

Autores

  • Marcos de Medeiros

Palavras-chave:

Função. Poética. Paródia. Carnavalização.

Resumo

A concepção de paródia/carnavalização de Mikhail Bakhtin e a função poética, conforme a concepção de Roman Jakobson, são as teorias que fundamentam a nossa análise da minissérie A invenção do Brasil. No geral, as obras que abordam momentos históricos seguem uma linha "educativa", centrada na verossimilhança, no naturalismo, e na função emotiva da linguagem, que possibilita o processo catártico. Essa minissérie vai na contra-mão, pois no lugar de apresentar verdades absolutas, indaga o tempo inteiro, lembrando ao telespectador que toda versão é sempre uma posição ideológica diante do mundo. A função poética da linguagem, que brinca com a mensagem, é uma presença constante, fazendo relações de momentos diferentes de nossa história. A paródia/carnavalização é outro ponto que mostra as diferenças entre essa obra e outras produções; parte de uma lenda, inverte papéis, deixando o telespectador com mais indagações do que certezas sobre o nosso passado apregoado pela história oficial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos de Medeiros

Jornalista na área cultural; mestre e doutorando em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP); professor do Curso de Jornalismo e Publicidade e Propaganda da FAC/Fito, da Fundação Instituto Tecnológico de Osasco.

Downloads

Como Citar

de Medeiros, M. “Paródia/Carnavalização E função poética Em A Invenção Do Brasil”. Intexto, nº 13, dezembro de 2008, p. 117-31, https://www.seer.ufrgs.br/index.php/intexto/article/view/4213.

Edição

Seção

Artigos