A metrópole e o triunfo distópico: a cidade como útero necrosado na ficção cyberpunk

Autores

  • Adriana Amaral

Palavras-chave:

Cibercultura. Cyberpunk. Romantismo Gótico. Cidade.

Resumo

O artigo remonta as origens da figura da cidade como elemento central na ficção cyberpunk, a partir do romantismo gótico e de seus desdobramentos para a comunicação e a cultura contemporânea. O romantismo aparece como uma visão de mundo caracterizada pela nostalgia, que reaparece no subgênero cyberpunk em sua intersecção com o gênero de estórias de detetives. Outro ponto abordado é o caráter feminino da cidade em sua relação com as estórias cyberpunks, a partir de seu aspecto sombrio, distópico e perigoso, tendo como principal exemplo a análise da metrópole do filme Blade Runner (1982).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriana Amaral

Professora e pesquisadora do Mestrado em Comunicação e Linguagens da Universidade Tuiuti do Paraná. Doutora em Comunicação Social pelo PPGCOM/ PUCRS

Downloads

Como Citar

Amaral, A. “A metrópole E O Triunfo distópico: A Cidade Como útero Necrosado Na ficção Cyberpunk”. Intexto, nº 13, dezembro de 2008, p. 88-102, https://www.seer.ufrgs.br/index.php/intexto/article/view/4211.

Edição

Seção

Artigos