Interfaces, visibilidade e devir pós-orgânico

Francisco Menezes Martins

Resumo


O presente artigo pretende uma aproximação a temas que ocupam parte dos debates sobre as relações entre homem e técnica. Neste caso, a preocupação é a análise das interfaces que permitem o jogo de trocas entre sujeitos, quando imersos em ambientes do cyberspace. O olhar que percorrerá esta trilha está inspirado em Nietzsche (1992 e 1996), Foucault ( 1987) e Deleuze (1996), além de propor um diálogo com as interpretações feitas por Bruno ( 2001 e 2004) e Sibilia (2002 e 2003).


Palavras-chave


Tecnologia. Imaginário. Interfaces. Visibilidade. Pós-orgânico.

Texto completo:

PDF




 

Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

 

 Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

 Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)