O sujeito no interior do enunciado e as narrações do mundo: problematizando as narrativas jornalísticas e imagéticas

Ana Paula Penkala

Resumo


Na década de 30 do século XX, Walter Benjamin afirmou que, com o surgimento do romance moderno, a narrativa morreu. Fernando Resende, em 2006, afirma ser possível pensar no jornalista como um narrador pós-moderno, trazendo a afirmação de Benjamin para o fazer jornalístico. Neste artigo proponho-me a discutir a narrativa jornalística a partir dessas duas bases, fazendo uma reflexão sobre o sujeito no interior do enunciado e dando início a uma problematização sobre esse sujeito no cinema de não-ficção.


Palavras-chave


Sujeito. Enunciado. Sujeito-narrador.

Texto completo:

PDF




 

Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

 

 Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

 Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)