A violência e exclusão na ficção jornalística

Beatriz Alcaraz Marocco

Resumo


À semelhança da ficção, o jornalismo alterna elementos descritivos e narrativos, dando às "falas" de fontes e ao acontecimento uma materialidade que recorta o tempo em unidades descontínuas. O jornalista transpõe o tempo cronológico, declara-se onipotente sobre múltiplos pontos de vista, insere-se como uma subjetividade - geralmente ocupando a impessoalidade - e apaga características do indivíduo, no caso de nosso estudo o excluído, transformando-o em personagem.

Palavras-chave


Jornalismo. Ficção. Narrativa.

Texto completo:

PDF




 

Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

 

 Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

 Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)