A materialidade do livro de bolso e a expansão do público leitor entre os séculos XV e XIX

Willian Eduardo Righini de Souza, Giulia Crippa

Resumo


Este artigo apresenta, por meio de uma revisão de literatura, algumas das principais iniciativas desde a invenção da imprensa que buscaram ampliar o consumo de livros e/ou diversificar o seu público leitor utilizando a sua edição, o que permitiu, entre outras coisas, o surgimento do livro de bolso. Como resultado, sustentamos que, apesar da popularização e massificação do livro ter ocorrido somente no século XIX, as intervenções editoriais desenvolvidas nesse período com a finalidade de alcançar classes antes não leitoras já eram aplicadas há alguns séculos.


Palavras-chave


História do Livro. Livro Popular. Materialidade.

Texto completo:

PDF




 

Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

 

 Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

 Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)