O jornalista em Jornalismo (1967-1971): contribuição sindical para a construção do pensamento jornalístico português

Jorge Pedro Sousa, Patrícia Teixeira, Liliana Mesquita Machado, Maria Erica de Oliveria Lima

Resumo


Este trabalho descreve, através de uma análise qualitativa do discurso, a concepção da condição de “jornalista” em Jornalismo, órgão do Sindicato Nacional dos Jornalistas de Portugal (SNJ), entre 1967-1971, numa altura em que, no país, se vivia sob o regime do Estado Novo mas em que o jornalismo se modernizava e rejuvenescia. Concluiu-se que os redatores desse periódico sindical se preocuparam menos com a discussão teórica do campo profissional e do que definia o ser-se jornalista do que com a afirmação e dignificação da profissão de jornalista, quer como forma de reforço da identidade da classe, quer como eventual base para reivindicações de melhores condições para o exercício profissional.

Palavras-chave


Teoria do Jornalismo. História do Jornalismo. Portugal.

Texto completo:

PDF




 

Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

 

 Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

 Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)