Hiper-realidade versus sedução: o paradoxo do Big Brother Brasil

Felipe da Silva Polydoro

Resumo


Neste artigo, jogamos Baudrillard contra si próprio na análise do programa Big Brother Brasil (BBB). Primeiro, desenvolvemos a afirmação do teórico de que este reality show resume-se a refletir o estado de banalidade de uma cultura hiper-real. Em seguida, propomos uma reversão nesta argumentação, ao apontar, no BBB, sinais de um efeito sedutor. No início, recuperarmos alguns pontos da teoria do autor francês e evidenciamos o conceito moderno de realidade, aquilo que desaparece na era da simulação.

Palavras-chave


Reality-show. Hiper-realidade. Comunicação.

Texto completo:

PDF




 

Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

 

 Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

 Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)