Corpo e biotecnologia: a indagação das fronteiras humanas em Stelarc

Cristiana Liebeld Simon, Sandra Maria Lucia Pereira Gonçalves

Resumo


Resultado de pesquisa monográfica, este artigo analisa os conceitos contemporâneos que norteiam a proposta artística do australiano Stelarc, e a sua visão do corpo humano, tendo como linha condutora a relação entre corpo, biotecnologia e arte. A intenção é contribuir para a discussão sobre o comparecimento da tecnologia como agente acelerador das inquietações do homem contemporâneo para com o seu corpo, tendo a produção artística de Stelarc como um exemplo desse fenômeno. O conceito de corpo é investigado nesse processo. Por fim, esse conceito é aplicado à produção artística de Stelarc na análise do pressuposto basilar de sua obra: “o corpo humano é obsoleto”. O resultado obtido é a verificação do corpo como local de reflexão e da arte como entidade que promove, antecipa e expõe essa reflexão através do debate da crescente presença da tecnologia em todos os âmbitos da vida.

Palavras-chave


Stelarc. Corpo. Biotecnologia. Arte.

Texto completo:

PDF




 

Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

 

 Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

 Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)