Duas cosmogêneses como chave de leitura para a Ponte Flusseriana do design

Sérgio Luciano da Silva, Rita Aparecida da Conceição Ribeiro

Resumo


O presente artigo procura identificar e compreender matrizes estruturantes do pensamento de Vilém Flusser sobre o design, a partir das narrativas cosmogônicas do Prometeu grego e do livro Gênesis bíblico. Os ensaios de Flusser Sobre a palavra design e A alavanca contra-ataca, por concentrarem sua atenção no tema das origens do conhecimento, justificam sua relação com essas duas cosmogêneses da cultura ocidental e com nossa concepção de uma raiz comum para campos do saber, que na atualidade se encontram problematicamente cindidos e hierarquizados. Para estabelecer interlocução com a filosofia de Flusser, recorremos às posições de Gui Bonsiepe, Rafael Cardoso e Tomás Maldonado. Esses teóricos do design seguem caminhos semelhantes aos do filósofo e questionam a cisão do conhecimento e o papel do design diante das rupturas entre a ciência, a técnica e a arte. Como resultado desse método dialógico e analítico, identificamos e explicitamos capacidades de ampliação da realidade inerentes à Ponte Flusseriana.

Palavras-chave


Teoria e crítica do design. Filosofia. Arte. Ciência. Técnica.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19132/1807-8583202051.320-341



 

Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

 

 Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

 Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)