"Espaço urbano e criminalidade: lições da Escola de Chicago" - FREITAS, Wagner Cinelli de Paula. O retorno da cidade como objeto de estudo da sociologia do crime

Autores

  • Comissão Editorial Sociologias Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Lígia Mori Madeira

Palavras-chave:

criminologia, Escola de Chicago, Teoria das Zonas Concêntricas, Teoria da Ecologia Humana, Controle Social

Resumo

Espaço Urbano e Criminalidade: Lições da Escola de Chicago (Wagner Cinelli de Paula Freitas) refere-se a algumas contribuições da Escola de Chicago à criminologia, destacando as teorias da Ecologia Humana (de Robert Park) e das Zonas Concêntricas (de Ernest Burgess). Para o autor, a primeira teoria utiliza-se dos métodos da antropologia como forma de explicar que o crime, muito antes de ser determinado pelas pessoas, o é pelo grupo a que pertencem. Já a Teoria das Zonas Concêntricas delineia-se na divisão de Chicago em cinco zonas concêntricas, que se expandem a partir do centro. A Zona II configura-se no foco principal de análise, devido aos seus altos índices de criminalidade. Freitas procura reproduzir esse método de pesquisa, aplicando a teoria de Burgess às maiores cidades brasileiras, demonstrando haver uma polarização em torno de grandes condomínios fechados: isso acaba por aumentar a criminalidade, em função da distância social acarretada. O livro de Wagner Freitas traz à tona o retorno das cidades como objeto de estudos sob o enfoque da criminologia, demonstrando a importância da Escola de Chicago para as áreas de sociologia do crime, da delinqüência e do controle social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lígia Mori Madeira

Graduada em Ciências Sociais pela UFRGS, Mestranda em Sociologia na UFRGS, Graduanda em Direito na PUCRS.

Downloads

Como Citar

SOCIOLOGIAS, C. E.; MADEIRA, L. M. "Espaço urbano e criminalidade: lições da Escola de Chicago" - FREITAS, Wagner Cinelli de Paula. O retorno da cidade como objeto de estudo da sociologia do crime. Sociologias, [S. l.], v. 5, n. 9, 2008. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/sociologias/article/view/5885. Acesso em: 7 ago. 2022.

Edição

Seção

Resenhas