Participação Social E Desigualdades Nos Conselhos Nacionais

Autores

  • Joana Alencar
  • Isadora Cruxên
  • Igor Fonseca
  • Roberto Pires
  • Uriella Ribeiro

Palavras-chave:

Conselhos nacionais. Desigualdade. Inclusão política.

Resumo

Instituições participativas têm sido descritas como elementos de mitigação de tradicionais desigualdades políticas, ampliando o acesso de atores excluídos do sistema formal. Entretanto, também têm sido alvo de críticas que apontam a reprodução de desigualdades sociais e políticas em seu interior. O presente artigo empreende investigação empírica sobre desigualdades nos conselhos nacionais. Para tanto, são analisados dados de survey com767 conselheiros nacionais, membros de 21 conselhos e 3 comissões nacionais. A análise dos dados focou nas desigualdades entre os conselheiros quanto a renda, escolaridade, gênero, raça/cor, região de residência e setor de representação. Procura identificar se, nas dimensões citadas, os conselhos incluem atores tradicionalmente excluídos do processo político. As interpretações revelam um quadro complexo no que se refere à questão das desigualdades nos conselhos nacionais. Quando observado de forma agregada, o perfil dos conselheiros nacionais indica atores que possuem renda e escolaridade substancialmente superiores à média da população. No entanto, há considerável variação entre os conselhos nacionais ligados a distintas áreas de políticas públicas. Em algumas áreas, os conselhos exibem uma composição plural, sendo mais inclusivos e criando novas oportunidades de acesso a espaços decisórios.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

ALENCAR, J.; CRUXÊN, I.; FONSECA, I.; PIRES, R.; RIBEIRO, U. Participação Social E Desigualdades Nos Conselhos Nacionais. Sociologias, [S. l.], v. 15, n. 32, 2013. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/sociologias/article/view/38674. Acesso em: 28 set. 2022.