Nas trincheiras do método: o ensino da metodologia das ciências sociais no Brasil

Autores

  • Ignacio Cano

Palavras-chave:

Métodos em ciências sociais. Técnicas quantitativas e qualitativas. Ensino de metodologia.

Resumo

O artigo reflete sobre o ensino tradicional das ciências sociais no Brasil a partir do seguinte diagnóstico inicial: uma ênfase excessiva nos clássicos e na erudição em detrimento da pesquisa empírica. Em segundo lugar, pretende analisar o ensino da metodologia das ciências sociais no país, permeado por uma falsa oposição entre as técnicas quantitativas e qualitativas, que são elevadas à categoria de metodologias diferentes e inclusive contraditórias. Esta guerra metodológica salda-se, com frequência, com a derrota do suposto ‘método quantitativo’, ao qual são associados defeitos epistemológicos de raiz e, inclusive, conteúdos ideológicos. Neste contexto, o termo ‘positivista’ costuma ser usado mais como insulto metodológico do que como descrição de uma corrente epistemológica real. A visão metodológica triunfante tende a ver a pesquisa mais como uma arte do que como um empreendimento sujeito a critérios de validação objetivos e rigorosos. Este cenário provoca que outros profissionais, como os economistas e os estatísticos, acabem ocupando, na prática, o espaço abandonado pelos cientistas sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

CANO, I. Nas trincheiras do método: o ensino da metodologia das ciências sociais no Brasil. Sociologias, [S. l.], v. 14, n. 31, 2012. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/sociologias/article/view/34912. Acesso em: 3 fev. 2023.