Michel Maffesoli e as definições do contemporâneo

Resenha de: MAFFESOLI, Michel. Être postmoderne. Paris: Les Éditions du Cerf, 2018. 248p. ISBN 978-2-204-12636-6

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/18070337-118308

Palavras-chave:

Modernidade, Pós-modernidade, contemporaneidade, teoria sociológica, Michel Maffesoli.

Resumo

A presente resenha analisa a obra Être postmoderne, de autoria do sociólogo Michel Maffesoli, publicada pela editora Éditions du Cerf (Paris), ainda sem tradução para a língua portuguesa. Ao longo do livro, o autor reafirma, assim como em obras anteriores, que estamos vivendo em um momento de saturação dos valores modernos e de emergência de valores pós-modernos. Être Postmoderne está estruturado em nove capítulos: 1. L’Oxymore; 2. Juvenoïa; 3. Métapolitique; 4. Sacral; 5. Nous; 6. Initiation; 7. Tradition; 8. Naturalisme; 9. Épinoïa. A leitura dessa obra instiga a pensarmos variadas questões sobre os valores que regem a vida cotidiana na atualidade. Desse modo, o texto examina, sem perder de vista o debate com seus críticos, os principais aspectos discutidos por Maffesoli ao longo do livro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tania Maria Rechia Schroeder, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Doutora em Educação e professora associada da Universidade Estadual do Oeste do Paraná, no curso de Pedagogia e no Programa de Pós-graduação em Educação.

Claudia Barcelos de Moura Abreu, Universidade Federal de São Paulo

Doutora em educação e professora associada nível 4 da Universidade Federal de São Paulo.

Fabio Lopes Alves, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Doutor em Ciências Sociais e Professor do Programa de Pós-Graduação em Sociedade, Cultura e Fronteiras da Universidade Estadual do Oeste do Paraná.

Referências

AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo? e outros ensaios. Chapecó: Argos Editora, 2009.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005.

BECK, Ulrich. Sociedade de risco: rumo a uma outra modernidade. São Paulo: Ed. 34, 2010.

CRUZ, Daniel Nery da. Pós-modernidade ou hipermodernidade? Pensando o sujeito contemporâneo sob as óticas de Lipovetsky e Bauman. Sapere aude, v. 9, n. 18, p. 351-371, 2018. https://doi.org/10.5752/P.2177-6342.2018v9n18p351-371

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Petrópolis: Vozes, 1987.

GADEA, Carlos. Paisagens da pós-modernidade: cultura, política e sociabilidade na America Latina. Itajaí: Edunivali, 2007.

GIDDENS, Anthony. As consequências da modernidade. Tradução Raul Fiker. São Paulo: Editora UNESP, 1991.

GIDDENS, Anthony. Modernidade e identidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003.

HAN, Byung-Chul. Sociedade do cansaço. Petrópolis: Vozes, 2017.

LATOUR, Bruno. Jamais fomos modernos: ensaio de antropologia simétrica. Rio de janeiro: Ed. 34, 1994.

LILLA, Mark. A mente imprudente: os intelectuais na atividade política. Rio de Janeiro: Record, 2017.

LIPOVETSKY, Gilles. Os tempos hipermodernos. São Paulo: Barcarolla, 2004.

MAFFESOLI, Michel. Êtrepostmoderne. Paris: Les Éditions du Cerf, 2018.

MAFFESOLI, Michel; FISCHER, Hervé. La postmodernité à l’heure du numérique : regards croisés sur notre époque. Paris: Les Éditions Nouvelles François Bourin, 2016.

MAIRORINO, Fabiana T. Cartografia do contemporâneo: paisagem do fim e do novo? Revista Brasileira de Educação, Cultura e Linguagem, v. 3, n. 6, p. 25-48, 2019.

ROSSETTI, Micaela L. O tempo presente: diálogo sobre a pós-modernidade. Percurso Acadêmico, v. 6, n. 11, p. 207-215, 2016.

TANGUY. Direção: Étinenne Chatiliez. Produção: Charles Gassot. Intérpretes: Sabine Azéma, André Dussollier, Éric Berger et al. Roteiro: Yolande Zauberman, Étienne Chatiliez e Laurent Chouchan. França: TF1 Films Production, 2001. 108 min.

Downloads

Publicado

2022-08-29

Como Citar

MARIA RECHIA SCHROEDER, T.; BARCELOS DE MOURA ABREU, C.; ALVES, F. L. Michel Maffesoli e as definições do contemporâneo: Resenha de: MAFFESOLI, Michel. Être postmoderne. Paris: Les Éditions du Cerf, 2018. 248p. ISBN 978-2-204-12636-6. Sociologias, [S. l.], v. 24, n. 60, 2022. DOI: 10.1590/18070337-118308. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/sociologias/article/view/118308. Acesso em: 1 fev. 2023.