O sono nos trimestres gestacionais: um estudo longitudinal

Autores

  • Natália Amorim Ramos Felix
  • Maria Filomena Ceolim

Resumo

Objetivo: Identificar as características do sono e os fatores associados ao sono de má qualidade ao longo dos trimestres gestacionais.
Método: Estudo longitudinal, quantitativo, com três períodos de acompanhamento, nos trimestres gestacionais (denominados T1, T2 e T3). Estudo longitudinal com 50 gestantes sem comorbidades. Utilizou-se os instrumentos: caracterização sociodemográfica e clínica, Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh e Diário de Sono. Os dados foram analisados por testes estatísticos (Qui-quadrado, testes não paramétricos e modelos de regressão).
Resultados: Identificou-se que 55,3% das gestantes relataram sono de má qualidade em T1, 39,5% em T2 e 65,8% em T3 e que, em T3, houve 67% a mais de risco de relatos de sono de má qualidade do que em T2.
Conclusão: Considerando-se a elevada prevalência de má qualidade do sono, principalmente no terceiro trimestre, compreende-se o pré-natal como um momento de aprendizado e oportunidade para os enfermeiros desenvolverem ações de educação, orientação e higiene do sono.

Palavras-chave: Sono. Gestantes. Enfermagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2022-11-21

Como Citar

1.
Natália Amorim Ramos Felix, Maria Filomena Ceolim. O sono nos trimestres gestacionais: um estudo longitudinal. Rev Gaúcha Enferm [Internet]. 21º de novembro de 2022 [citado 26º de janeiro de 2023];44. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/rgenf/article/view/128592

Edição

Seção

Artigos Originais