Concordância entre instrumentos de avaliação da fragilidade em idosos na atenção primária à saúde

Autores

  • Beatriz Rodrigues de Souza Melo
  • Bruna Moretti Luchesi
  • Gustavo Carrijo Barbosa
  • Henrique Pott Junior
  • Tatiana Carvalho Reis Martins
  • Aline Cristina Martins Gratão

Resumo

Objetivo: Avaliar o nível de concordância entre a Avaliação Subjetiva da Fragilidade (SFA) e o Índice de Vulnerabilidade Clínico-Funcional (IVCF-20) para rastreio da fragilidade em idosos.
Métodos: Estudo descritivo, comparativo e transversal realizado em 2018/2019 com 492 idosos, em 09 Estratégias Saúde da Família no município de Três Lagoas-MS. A Fragilidade foi avaliada utilizando a SFA e IVCF-20 e entrevista estruturada. Para comparações, utilizou testes de Wilcoxon e qui-quadrado
de Pearson.
Resultados: Concordância foi de 35,4%, com coeficiente Kappa de 0,11. Dicotomizando em idosos frágeis e não-frágeis, a concordância foi de 70,1%, com coeficiente Kappa foi 0,41 e o alfa de Cronbach para IVCF-20 foi 0.61 e SFA 0.74. A prevalência da fragilidade foi menor do IVCF - 20 (17,1%) e maior
na SFA (59,8%).
Conclusão: A concordância entre os dois instrumentos variou de baixa a moderada, destacando a necessidade de padronizar o instrumento para aferir a fragilidade em idosos comunitários.

Palavras-chave: Idoso fragilizado. Reprodutibilidade dos testes. Atenção primária à saúde. Vulnerabilidade em saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2022-05-27

Como Citar

1.
Beatriz Rodrigues de Souza Melo, Bruna Moretti Luchesi, Gustavo Carrijo Barbosa, Henrique Pott Junior, Tatiana Carvalho Reis Martins, Aline Cristina Martins Gratão. Concordância entre instrumentos de avaliação da fragilidade em idosos na atenção primária à saúde. Rev Gaúcha Enferm [Internet]. 27º de maio de 2022 [citado 13º de agosto de 2022];43. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/rgenf/article/view/124828

Edição

Seção

Artigos Originais